Páginas

quinta-feira, 7 de março de 2013

ORTIZ RECEBEU SALÁRIO SEM
TRABALHAR: DEVOLVE 120 MIL?

O primeiro grito foi dado por funcionários da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação). O órgão estadual está em polvorosa com a publicação do Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (7)

O caudilho taubateano foi suspenso de suas atividades na presidência da FDE em 4 de outubro de 2012 por determinação judicial, sem prejuízo de seus vencimentos. Se a demissão é retroativa, como pôde receber salário? Quem errou? A Justiça? Alguém se omitiu? Foi uma falha deliberada de quem elaborou o decreto governamental?

A demissão do ex-prefeito de Taubaté ocorre exatamente seis meses após ter cumprido o “gancho” judicial. A decisão do juiz da 14ª Vara da Fazenda Pública se estendeu também aos bens do caudilho, que estão bloqueados.

Em outras palavras, Ortiz não pode se desfazer de nenhum bem. Nem aquele penico que deve ter em algum canto da casa pode ser vendido sem autorização judicial ou enquanto a justiça mantiver seus bens bloqueados.

Preste atenção na reprodução do decreto do governador Geraldo Alckmin: a data da demissão é retroativa a 4 de outubro de 2012.

Neste período, o caudilho taubateano recebeu cerca de R$ 120 mil em trabalhar. Não estava de férias nem de licença-prêmio. Terá que devolver a bufunfa? Quem devolve? Ortiz? Alckmin?

O dinheiro saiu dos cofres públicos indevidamente e para lá deve voltar. Não importa quem vai pagar. O importante é sua devolução aos cofres públicos. É nosso rico dinheirinho ind9o parar em bolsos indevidos.

Abaixo vocês tem o decreto governamental da demissão de Ortiz. Preste atenção na data e responda: Ortiz deve devolver o que tirou da bolsa da viúva sem precisar suar uma gota de suor?

DOE de 7/3/13 Secão I

Atos do Governador
DECRETO(S)
DECRETO DE 6-3-2013
Designando, nos termos do art. 15 do Estatuto da Fundação
para o Desenvolvimento da Educação - FDE, com a nova
redação aprovada pelo Dec. 51.925-2007, Barjas Negri, RG
5.125.223-5, para exercer a função de Presidente da aludida
Fundação, na vaga decorrente da dispensa, a partir de 4-10-
2012, de José Bernardo Ortiz, RG 1.219.260/RJ.