Páginas

sábado, 2 de março de 2013

VERSOS "SATÂNICOS" DE SILVIO PRADO

O título é uma paródia que faço com o ensaísta e poeta inglês, de origem indiana, Salman Rushdie, jurado de morte pelos aiatolás após ter publicado sua maior obra: Versos Satânicos.

O professor Silvio Prado, autor de textos mordazes, produzidos em estilo narrativo, é impar quando, em versos impagáveis, como os três reproduzidos abaixo, critica as instituições, a política e os políticos, a educação, o sistema de saúde e por ai vai.

Nada escapa ao olhar atento e observador desse professor da rede pública estadual, capaz de escrever, sempre em tom crítico, sobre um incêndio ou as dificuldades criadas para os idosos desfrutarem do transporte público gratuito.

Aqui, os “versos satânicos” do professor Silvio Prado.

Novo Papa

O papa não suportando
As tramas do Vaticano
Pediu a conta outro dia
Só governando oito anos
Pois era sofrer demais
Governar com cardeais
Que até parecem tucanos.

O papa pediu a conta
Buscou outra freguesia
E agora, papa emérito,
Mantém sua homilia
Apesar de desgastado
Pelos rombos do Estado
E tanta pedofilia.

Daqui a pouco teremos
Um papa novo e moderno
Talvez um João 24
Sem batina, só de terno,
Capaz de tomar cerveja
E arrancar da Igreja
O que ela trouxe do inferno.

Planejamento

Reuniram-se na escola
Na quinta e na sexta-feira
Para debater o ensino
(Coisa fina, de primeira),
Para que durante o ano
A gente não faça besteira.

Falou-se de tanta coisa
Ora, falou-se de tudo
De Matemática, Geografia,
De Deus e até do chifrudo
E com tanto falatório
Nenhum professor ficou mudo.

Mas o importante mesmo
Foi a tal radiografia
Que a escola então fez
Procurando em dois dias
Endireitar o seu rumo
Pra não fazer baixaria.

Agora, tão preparados
E repletos de motivos
Podemos então começar
Um outro  ano letivo
Mesmo não tendo salário
E qualquer outro incentivo.

Sentença

Quando virá a sentença
Cheia de severidade
Sobre aquele que abusou
Da paciência da cidade
Aplicando na eleição
Verbas da educação
Verdadeira improbidade.

Se demora a sentença
Tudo aqui se incendeia
Pois o fato só comprova
Que a honestidade rareia
Inclusive na Justiça
Que só reza sua missa
Sob um belo pé de meia.
Agora, tão preparados
E repletos de motivos
Podemos então começar
Um outro ano letivo
Mesmo não tendo salário
E qualquer outro incentivo.