Páginas

quarta-feira, 24 de abril de 2013

DISCURSO DE ORTIZ É
O MESMO HÁ 30 ANOS

Quando se elegeu prefeito de Taubaté em 1982, Ortiz surpreendeu negativamente até aqueles que o ajudaram a vencer as eleições ao cortar a merenda escolar que a Prefeitura cedia a APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais.

A truculência de Bernardo Ortiz pôde ser sentida nos primeiros atos do ex-(atual?)prefeito, que, trinta anos depois, recebe tratamento VIP (very important person) de uma equipe do Pronto Socorro, que lhe oferece assistência médica em casa, privilégio que ninguém tem nesta urbe quase quatrocentona.

Há um grande esforço midiático para tentar transformar o velho caudilho taubateano em herói por estar usando serviço do SUS – Sistema Único de Saúde, sem contar a esdrúxula comparação com o câncer de Lula que o levou a ser tratado no Hospital Sírio Libanês.

“Tem gente no pronto socorro irritada porque precisa trabalhar. Tinha médico e enfermeiro que ficavam em casa, ou ficavam dormindo, e hoje trabalham”, bravateou o tucano em solenidade no Parque Itaim, segundo o jornal O Vale.

Nada diferente do discurso moralista que marcou a carreira de Bernardo Ortiz ao longo dos anos. O mestre de obras meia boca sempre foi um crítico feroz do funcionalismo público, que considerava “vagabundos” por serem concursados e terem estabilidade de emprego garantida por lei.

Sem ter como explicar o privilégio oferecido ao pai – médicos e enfermeiros cedidos pelo pronto socorro para atendê-lo em casa – Ortiz Júnior parte para a agressão gratuita e ofende profissionais que trabalham para evitar sua orfandade.

O sindicato dos funcionários públicos não reage à agressão, o sindicato dos médicos “engole” a crítica tucana e o sindicato dos enfermeiros mantém silêncio. Todos aceitam, covardemente, o vilipêndio do futuro ex-prefeito, que está sucateando a saúde taubateana ao transferir para o São Camilo o Hospital Universitário, com funcionários e tudo.

Para o papai, no entanto, basta escalar uma equipe médica e, pronto, tudo está resolvido. Quem está na fila do pronto socorro que espere até o caudilho ser atendido em casa, pois não faltará quem defenda na Câmara Municipal e nos jornais o tratamento VIP. Uma lástima!

O Ministério Público recebeu a denúncia do vereador Salvador Soares (PT) e deve responder se abre inquérito para investigar o tratamento VIP.

A declaração de Ortiz Júnior é a prova cabal de sua arrogância ao tratar com funcionários públicos. Como o pai, o filho também pisoteia o trabalhador.

O ano passado fui atendido no posto médico da Gurilândia, de onde fui transferido para o pronto socorro. Fui muitíssimo bem atendido por médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem. Estou vivo para contar esta história graças ao bom atendimento que tive no PSM.

Não vi nenhum médico dormindo, como alega o futuro ex-prefeito tucano.

Aqui, o ofício do vereador Salvador Soares ao Ministério Público.