Páginas

sexta-feira, 26 de abril de 2013

TREMEI, TUCANOS E TUCANALHAS

O engenheiro Chico Oiring depositou na conta de campanha do futuro ex-prefeito de Taubaté a módica importância de R$ 9,5 mil. Não precisou, portanto, justificar a origem do dinheiro.

Como se sabe, o Banco Central do Brasil não rastreia importâncias depositadas até o montante de R$ 10 mil, pois considera baixa a possibilidade de haver lavagem de dinheiro com esse valor.

Com certeza, muito dinheiro é lavado pelo Brasil afora com depósitos de quantias ínfimas, que fogem ao controle do Banco Central.

A campanha tucana em Taubaté é um exemplo. Vários depósitos foram feitos na conta de campanha de Ortiz Júnior, em dinheiro vivo, longe da lupa investigadora do Banco Central.

Há, entre os registros da prestação de contas de campanha de Ortiz Júnior, nomes importantes, inclusive de um secretário municipal, como colaborador da campanha milionária do tucano.

Se você está pensando que o dinheiro saiu do bolso do colaborador está enganado.  O dinheiro teria sido repassado pelo próprio Ortiz Júnior aos seus “colaboradores”.

O engenheiro Chico Oiring confirma ter sido um dos que “colaborou” com Ortiz Júnior, mas que o dinheiro depositado na conta DCE campanha do tucano teria sido fornecida pelo próprio interessado.

O depósito, contabilizado na prestação de contas de campanha de Ortiz |júnior, está declarado no imposto de renda de Chico Oiring.

Tudo será levado ao conhecimento do Ministério Público no próximo dia 30.

O cerco começa a se fechar e a corda do enforcamento de Ortiz Júnior está apertando mais um pouco.

As notícias são alvissareiras para nós, pobres mortais taubateanos, que somos enganados há 30 anos pelos políticos locais.