Páginas

segunda-feira, 13 de maio de 2013

ADVOGADOS TENTAM SALVAR
PESCOÇO DE ORTIZ JR NO TRE

A desembargadora Diva Malerbi, relatora do recurso de Ortiz Júnior contra a rejeição de suas contas eleitorais, permitiu que os advogados do réu tivessem vista ao processo, por uma hora apenas, fora da secretaria do TRE.

O MPE impetrou mandado de segurança pedindo que a Justiça Eleitoral se manifestasse antes da diplomação de Ortiz Júnior. As contas foram rejeitadas, o que não impediu a diplomação e a posse dos réus – Ortiz Júnior e seu vice Edson Aparecido de Oliveira.

Inexplicavelmente, o tucano perdeu o prazo de recorrer da decisão da Justiça Eleitoral de Taubaté. Intempestivamente o tucano recorre da decisão de primeira instância.

Agora, Ortiz Júnior corre contra o tempo. Seus advogados entraram com o recurso eleitoral 944-18.2012.6.0141 para tentar salvar seu pescoço. A decisão de permitir vista ao processo por uma hora foi publicada no DJE de sexta-feira (10). O tempo urge para o tucano.

O DJE desta segunda-feira (13) publica a proximidade do julgamento da petição do MPE ao processo 952-92.2012.6.26.0141, que trata de captação ilegal de recursos para a campanha eleitoral tucana.

O mandado de segurança (MS) que obrigou a Justiça Eleitoral a se manifestar será finalmente julgado, como determina a Lei da Ficha Limpa ( Lei Complementar 135/10).

Ambos os processão estão imbricados

O que será julgado?

O mandado de segurança impetrado pelo MPE, que pode confirmar a rejeição das contas do tucano e torná-lo inelegível pelos próximos oito anos.

Talvez seja este o motivo pelo qual o futuro ex-prefeito de Taubaté não permaneceu na reunião por ele convocada na sexta-feira (10), com a base aliada (vereadores, secretários e amigos).

Segundo um dos integrantes do grupo de apoio a Ortiz Júnior, ele deixou a reunião alegando problemas de saúde e ausentou-se nas 24 horas seguintes de todas as suas atividades.

Aqui, o DJE de sexta-feira (10/05/13)



Aqui o DJE desta segunda-feira (13/05/13)