Páginas

segunda-feira, 13 de maio de 2013

CHICO OIRING DEPÕE NA ALESP
E DEVE REVELAR MAIS DETALHES

O engenheiro Chico Oiring, um dos principais articuladores da campanha de Ortiz Júnior (PSDB) à Prefeitura Taubaté, após seu explosivo depoimento ao Ministério Público, ganhou espaço no portal da Folha de S. Paulo e acaba de ser convidado, por enquanto informalmente, para depor na Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa.

Clique aqui para ler a íntegra do depoimento de Chico Oiring na 4ª Promotoria do Patrimônio Público e Social da Capital. São revelações bombásticas, que calaram os tucanos taubateanos.

O próprio Chico Oiring, perguntado por mim, confirmou o convite do deputado Carlos Gianazzi (PSOL) e disse que sua presença na Alesp está confirmada, faltando apenas acertar a data.

Em seu novo depoimento, Oiring garante que ratifica tudo o que disse no depoimento anterior podendo acrescentar novas informações tais como os “café da tarde”, organizados por sua equipe.

Os ingredientes do “café” – bolo, manteiga, leite, suco, pão, bolachas, etc – ficavam por conta da equipe de Ortiz Júnior,  que bancou esse tipo de reunião durante toda a pré-campanha, que durou pouco mais de um ano

Digamos que um café da tarde (assim eram chamadas as reuniões) custasse R$ 50.  Pouco, não é mesmo? Não é difícil imaginar, portanto, que pelo menos 400 cafés da tarde foram servidos em 14 meses de pré-campanha, o que levaria seu custo para R$ 2 mil.

Uma quantia irrisória diante do montante que se gastou na milionária tucana campanha. A equipe de Ortiz Júnior chegava pelo menos uma hora antes de o café ser servido.

Neste intervalo, as meninas colhiam informações do hospedeiro e seus covidados. A radiografia era digitalizada e rendiam cartas personalizadas aos convivas. Com R$ 50 é possível que o tucano conquistava ao menos 20 preciosos votos.

A equipe de telemarketing comandada por Arcione Viagi, que manteve durante o período entre a pré-campanha e a campanha de 30 a 40 funcionárias trabalhando diariamente das 8 ás 22 horas em seu escritório na esquina da Rua do Colégio com Rua Marechal Arthur da Costa e Silva foi bancada pelo dinheiro da campanha tucana. De onde vinha o dinheiro?
Arcione é assessor político de Ortiz Júnior desde 10 de janeiro deste ano, com status de secretário.

A sofisticação dos cafés da tarde chegava ao ponto de uma repórter da Rádio Metropolitana participar das reuniões e entrevistar os participantes, geralmente pessoas simples, que se encantavam com a importância dada ao evento.

A participação de uma equipe da Rádio Metropolitana nestes eventos revela o conluio entre a emissora de rádio, uma das mais populares de Taubaté e Ortiz Júnior antes e durante a campanha eleitoral.

Clique aqui para ler a matéria em que estranhávamos a enquete realizada pela emissora dando amplo favoritismo ao tucano e aqui para ler a condenação sofrida por Ortiz Júnior e a Rádio Metropolitana por campanha eleitoral antecipada.

Deve ser por isso que o diretor da emissora, Silvio Sanzoni, disse que blogueiro é jornalista que não deu certo por ser jornalista de quinta categoria.

Interessante que a campanha difamatória encetada pela Rádio Metropolitana contra mim (eles têm o cuidado de não citar meu nome) acontece justamente após a divulgação, neste blog, do depoimento de Chico Oiring ao Ministério Público sobre possíveis desvios de dinheiro na campanha tucana.

Silvio Sanzoni me critica (no que ele tem todo o direito) por amor à verdade ou há outros interesse$ por trás de seu arroubo? Será que o diretor da emissora teme que Oiring revele que a relação da Metropolitana com Ortiz Júnior não se apenas apenas ao caráter político da campanha eleitoral?

ALESP

A Comissão de Educação e Cultura da Alesp é composta por onze membros (sete governistas e quatro da oposição). Resta saber se haverá quórum quando Chico Oiring  for convidado formalmente para ser inquirido pelos deputados estaduais.

Aqui, a relação dos membros da Comissao:

Adilson Rossi (PSB), Aldo Demarchi (DEM), Carlos Gianazzi (PSOL), Carlos Neder (PT), Edson Ferrarini (PTB), João Paulo Rillo (PT), Leci Bandão (PC do B), Mauro Bragato (PSDB), Regina Gonçalves (PV), Rita Passos (PSD) e Roberto Engler (PSDB).

Aqui o deputado Carlos Gianazzi, n Alesp, fala sobre o convite a Chico Oiring e Bernardo Ortiz para depor na Comissão de Educação e Cultura.