Páginas

quarta-feira, 1 de maio de 2013

PRIMEIRO DE MAIO

Silvio Prado, professor

Ao companheiro Tonhão, lutador
e  evolucionário incansável

De que adianta o trabalho
Se ele não lhe dá o pão
E nem lhe garante a casa,
A estrutura e a condição
De finalmente torná-lo
Livre de todo patrão?

De que adianta o trabalho
Se ele não te humaniza
E nem te arranca do gueto
E da miséria que precisa
Alimentar os privilégios
De quem o pobre inferniza?

De que adianta a fábrica,
Mais a  terra e a produção,
Se tudo te faz escravo
E o separa até do irmão
Proibindo em sua alma
Sonhos de revolução?

De que adianta a revolta
E a consciência desperta
Se os homens pelas ruas
Expõem na face deserta
A incerteza que o inimigo
Semeou na hora incerta?

Porém, esqueça o silêncio
E a tristeza de outros dias:
Hoje é Primeiro de Maio,
O primeiro e maior dia
E o mundo está tomado
Por nossa maior utopia.