Páginas

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O BRASIL DEIXA DE SER O PAÍS DO FUTEBOL

José Carlos Cataldi jornalista e advogado

Parece o apocalipse. Corpos estranhos riscam o céu e a conduta muda por completo no Brasil. A ponto de estudiosos do comportamento humano ficarem sem resposta, quando assuntados sobre o ineditismo histórico do que está acontecendo. Até a Rede Globo afinou o discurso de “namorada do poder” para apoiar as manifestações, ditas apartidárias de protesto. Tirou da grade alienada as novelas e a goleada da Espanha sobre o Taití por 10 a zero... A exclusividade do assédio destrutivo sobre os carros de reportagem não é mais dela.  Agora são virados e ou incendiados também os da Bandeirantes e do SBT...

O sociólogo e professor da UFRJ Paulo Baía avalia que se trata do primeiro movimento em que a população está politizada, e não permite ser conduzida por partidos, autoridades, e, não aceita qualquer tipo de mídia manipulada. Só a internet. E, não adianta diminuir o valor da passagem. O povo quer ser ouvido...

A psicanalista Roberta Bueno, que é da Escola Lacaniana de Psicanálise do Rio de Janeiro. Acredita, citando Freud, que o Povo está vivendo uma catarze coletiva, conceito usado para explicar o desabafo da multidão com cartazes e faixas que tem parado as cidades quase que diariamente, delineando o governante como algoz, que, ao ser confrontando com a massa, provoca sensação coletiva de libertação psíquica.

Perigo é que, de um movimento sem dono, sem liderança, pode nascer a anarquia. E, da anarquia, o perigo da volta da exceção. Provável que esteja ai, enrustida, a razão da insistente permanência de uma minoria raivosa, lançando pedras e paus sobre a polícia, querendo desqualificar a manifestação pura e pacífica do Povo, chamado às ruas pela internet e, subliminarmente pelo anúncio da Fiat.

Baderneiros poderiam estar machucando e destruindo patrimônio, para justificar um golpe de direita ou de esquerda mais adiante.

A presidente da república, despencando em popularidade e sem o controle da situação, convoca o seu conselho político. Pode radicalizar?

A Constituição, salvo melhor juízo, acena ao presidente do Supremo Tribunal Federal com a possibilidade legal, dele intervir, convocando o Exército e as Forças Armadas para garantir sua ascensão ao poder para restaurar a ordem...

E ainda tem gente falando na vergonha que está sendo exibir essa crise lá fora... Digo que vergonha eu sinto, quando toda essa podridão fica armazenada aqui dentro, cheirando mal, e ninguém faz nada...

Hoje faz 9 anos que Brizola morreu. Pena! Não viveu o suficiente para ver o Povo se libertar dos pelegos...

Falei e disse!