Páginas

quarta-feira, 19 de junho de 2013

QUE COISA LINDA, MOÇADA

Camões Filho, jornalista, poeta e pedagogo

As manifestações que pipocam por todo o país vêm produzindo efeitos surpreendentes. Criticava-se tanto os jovens, que estavam alienados, só pensando em baladas, drogas e outros besteiróis. Pois eis os nossos jovens nas ruas, demonstrando toda a insatisfação do povo brasileiro com tanta corrupção, violência, preços abusivos, transporte público precário, hospitais abarrotados, onde as pessoas são tratadas como gado. Enquanto isso os governantes e as autoridades, que deveriam procurar amenizar tudo isso, na esmagadora maioria está pensando apenas em aumentar seus já polpudos vencimentos e engordar seus cofres, sejam aqui ou nos paraísos fiscais.

Deu no que deu. A bolha estourou, assim como a paciência de Jó do nosso povo, sempre apresentado como cordeirinho. Agora não tem volta e é bom as autoridades e governantes entenderem o recado das ruas. Afinal, como disse o sábio e saudoso Ulysses Guimarães, político só tem medo de uma coisa: o povo nas ruas.

Os protestos, esmagadoramente formado por jovens, o que nos alenta e conforta, têm produzidos momentos e cenas memoráveis. Aquela moçada linda, vibrante, no teto do Congresso Nacional, é cena de ontem mas que estará ilustrando os livros de história de amanhã. O dia do basta. O dia em que o povo mostrou a cara e foi pra briga, por uma causa nobre.

Que coisa mais linda as silhuetas dos jovens, sombras projetadas na cúpula da Câmara Federal.

Os jovens subindo e descendo pelas escadas rolantes do Metrô de São Paulo, cantando o Hino Nacional Brasileiro, mostraram que essa ruptura abre-nos as portas de um novo amanhã e que a partir de agora não se pode mais brincar com essa gente que mostrou o seu valor.

O gigante, que esteve esse tempo todo adormecido às margens plásticas, despertou. E aos déspotas e corruptos, fica o alerta. Verás que um filho teu não foge à luta. Chega de impunidade e manipulações. Falar nisso, adorei os manifestantes rechaçando os partidos políticos e oportunistas de plantão. Que sejam alijados também os verdadeiros meliantes que se aproveitam de um movimento pacífico para depredar, roubar, saquear lojas. Esses vândalos devem mofar no xilindró.

Mas também não adiante todo mundo ir pras ruas como leão e ano que vem votar como cordeirinho. Vamos limpar o Brasil. Basta. Chega.

Eu estou orgulhoso de ver que nossos jovens estão fazendo agora tudo que fizemos  lá nos idos de sessenta, setenta, em plena ditadura militar.

Dizia-se que nossa juventude estava alienada. Alienada? Sai da frente malandros, bandidos, corruptos, safados, que nossos jovens estão nas ruas, com sede de mudança e de transformações sociais.

Que coisa linda, moçada. Esse velhinho de Taubaté remoçou uns vinte anos assistindo cenas tão ricas e comoventes.

Camões Filho, jornalista, escritor e pedagogo, pós-graduado em Jornalismo e Assessoria de Imprensa, é membro titular da Academia Taubateana de Letras. E-mail para contato com o autor: camoesfilho@bol.com.br