Páginas

terça-feira, 13 de agosto de 2013

CAJAZEIRAS ABANDONAM CATÃO,
QUE ABANDONA CORRETOR FULEIRO

Abandonado pelas cajazeiras, o catão da Vila São Geraldo ainda mantém alguns assec... digo, assessores fiéis à sua orientação fascista.

Só falta exigir de seus subordinados que, ao atravessarem o batente da porta de seu gabinete, cumprimentem os presentes à moda de Plínio Salgado, fundador da AIB (Ação integralista Brasileira) – anauê (você é meu amigo, na língua tupi).

Mas o que quero dizer é o seguinte:

O catão da Vila são Geraldo é a contradição em pessoa, embora alguns assessores tentem defendê-lo no Facebook e as cajazeiras tenham-no defenestrado de suas vidas e maldigam o dia em que o apoiaram para vereador desnecessário.

O tom lamurioso das postagens no Face só não me comovem porque conheço de perto as cajazeiras e sei do que elas são capazes, especialmente aquela que diz que as redes sociais não devem ser usadas para maldizer ninguém.

O que a cajazeira-mor mais faz é denegrir pessoas que não comungam com suas ideias. Ela não tem pejo de bisbilhotar a vida de quem ela considera “inimigo” e expô-la no Face com seu linguajar incerto e venenoso.

Voltando ao que interessa:

O vereador desnecessário está se mostrando um canastrão, como o ex-prefeito que ele tanto criticava. O figurino de catão o transfigura e o faz cometer desvios de personalidade contra antigos aliados.

No dia 29 de março deste ano o catão da Vila São Geraldo pregava no Face que o povo tinha o direito de saber como o dinheiro público era gasto.

(Re)leia a postagem do vereador desnecessário:


"O DINHEIRO É DO POVO. O POVO TEM O DIREITO DE SABER COMO FOI GASTO"

Caros,

Talvez a principal função que restou à Câmara, diferentemente do que se pensa, é a fiscalização dos negócios públicos.

Uma das facetas da missão de fiscalizar é promover a transparência dos órgãos municipais - a partir da própria Câmara!

Eu e minha assessoria temos trabalhado intensamente nisso nos últimos meses, compilando publicações, levantando procedimentos e rotinas (tanto da Câmara quanto da Prefeitura e UNITAU), visitando as diversas repartições municipais e em breve começaremos a colher os frutos.

Hoje, o primeiro resultado: por solicitação minha, a partir de agora começa a constar no site da Câmara relatório detalhado das compras do Legislativo.

É um desdobramento do slogan que lancei quando criei o orçamento cidadão em 2004: "O dinheiro é do Povo. O Povo decide onde gastar." O DINHEIRO É DO POVO. O POVO DECIDE ONDE GASTAR".

Agora é: "O DINHEIRO É DO POVO. O POVO TEM O DIREITO DE SABER COMO FOI GASTO"

Ainda há muito o que avançar, até se consolidar uma cultura de transparência e de facilitação de acesso aos dados. Os dados que começam a ser disponibilizados hoje ainda estão em formato .pdf (amado por técnicos e detestado por todos nós que precisamos processar dados).

E o motivo é banal: a empresa que controla a contabilidade da Câmara, a CONAM, não fornece relatórios em formato processável automaticamente (.txt, .csv, .xml ou .xls).

Mas aproveitemos o avanço.

lique neste link:http://www.camarataubate.sp.gov.br/publicacoes-oficiais/licitacoes.php (para saber mais sobre o orçamento público – grifo meu)

Em seguida à aula de “transparência” ministrada pelo catão, o corretor desnecessário teceu-lhe farto elogio:

José Giordano Parabéns Joffre Neto. Estamos certos que estamos bem representados na Câmara. Continue trabalhando firme, focado na fiscalização dos gastos da Câmara e do Executivo. Estendo meus cumprimentos aoJoão Vida,l que segue na mesma toada.

O catão da Vila São Geraldo não se fez de rogado. Respondeu ao elogio e mandou um recado para seus críticos, insistindo na tese de um favor esperado que ele não pôde atender. Como Goebbels, Joffre Neto mente, mente, mente, até que a mentira seja aceita como verdadeira pelos incautos.

Joffre Neto Obrigado,José Giordano. Naturalmente que, por mais que nos esforcemos, sempre haverá alguém insatisfeito e disposto a encontrar algum defeito. Paciência, não? Represento e trabalho pelos que me apoiam e também pelos que me atacam, ainda que gratuitamente. Aos gratos e os ingratos - são todos cidadãos, ainda que nem todos amigos. Principalmente aqueles que esperavam algum benefício material quando te apoiavam - e queriam um compromisso além do que assumi em campanha: honrar o mandato que viesse a conquistar.

Pois é! O corretor acreditou nas palavras de seu ídolo como acreditou que seria capaz de liderar um movimento que acabasse com a gastança Câmara Municipal. Teve até cajazeira portando faixa contra o excesso de despesas no legislativo taubateano.

O vereador desnecessário mostrou sua verdadeira face de catão e passou uma descompostura no corretor, que já andou afirmando no Face que vai me processar. 

Aqui, texto da lavra do catão da Vila São Geraldo divulgado pelo Face no último dia 7 de agosto:


MANIFESTAÇÃO NA CÂMARA

Dentro do clima geral de vigoroso despertar da consciência democrática, é sempre animador cada manifestação dos cidadãos.

Teve uma agora há pouco na Câmara: pediam redução do orçamento da Câmara, remoção do vidro que nos separa do Plenário e mudança do horário das sessões para o período noturno.

Por coincidência, bandeiras que venho defendendo há muito tempo - como vc certamente já observou aqui nos meus escritos.

Mas não era bem isso. Apesar de, objetivamente, a pauta parecer democrática, na realidade era uma grosseira instrumentalização do momento político em que vivemos.

Explico porque: a manifestação foi liderada por um senhor, José Giordano, cujo histórico político desmente cabalmente seus últimos "atos democráticos".

Estreiante tardio na defesa da "ética na política", da "participação democrática", Giordano é freguês antigo das mais atrasadas, retrógadas e suspeitas correntes políticas de nossa cidade, além de carreirista inveterado.

Estranhamente, durante os oito anos de governo corrupto de Roberto Peixoto, Giordano nunca viu nada errado na política local. Nem quando numa compra de R$ 7 milhões de medicamentos R$ 5 milhões eram superfaturados, como denunciei em 2009.

Nunca vimos Giordano em nenhuma das memoráveis passeatas, que a Transparência Taubaté e outras entidades promoveram contra a corrupção no governo Peixoto.

Por que será? Simples: ele ansiava por ser comparsa de Peixoto. Tanto que nas eleições passadas, depois de uma tentativa frustada de lançar um "candidato dos empresários" (Antonio Jorge, que foi candidato derrotado a vice de Peixoto em 1996), Giordano, André Saiki e o médico Wander Cunha, propuseram a Peixoto e ao seu mentor, Ary Kara, um acordo que foi repelido, pela pretensão ridícula de um trio que representava apenas a si mesmo.

Derrotado seu candidato (Peixoto), Giordano rapidamente virou eleitor de Ortiz Jr. - desde criancinha. E recarregou seu sonho de conquistar uma boquinha bancada pelo erário público: queria porque queria ser secretário. A mim mesmo ligou inúmeras vezes pedindo uma audiência com o prefeito Ortiz Jr., que, prudentemente, não o recebeu.

O que deu mais mal-estar foi ver que esse senhor envolveu um certo número de jovens no seu pseudo-esquema de manifestação democrática.

Não ouviu, sem dúvida, a grave advertência de S.S. Papa Francisco: "ai daqueles que instrumentalizarem a legítima indignação e idealismo dos jovens, sob pena de arruinar suas vidas".

Para não cansar o leitor, reproduzirei apenas alguns “posts” publicados dia 8 de agosto. Antigos aliados se desesperam com o destempero do catão da Vila São Geraldo:


1) Ao Joffre Neto

Estou realmente frustrada e desiludida com o vereador que ajudei a se eleger
No passado um grande companheiro de lutas... Me ensinou o que hoje percebi...tardiamente que não me serve para nada...

Foi muito triste... vê-lo usar as palavras, para humilhar e desqualificar um cidadão... que estava ali fazendo valer seu direito legítimo de contestar...

Eu morrerei defendendo o direito democrático da livre manifestação na Casa do Povo ou em qualquer lugar do país e você hoje agiu igual aos que vc dizia combater... tenho certeza que o Papa Francisco não usou as palavras das quais vc se apropriou como fundamento no seu texto com o mesmo sentido que vc utilizou... foi covardia... o Papa jamais humilharia as pessoas como humilhou hoje.

Se a bandeira é sua...porque ainda não a tirou do armário?

Saudações Republicanas

2) o Irani Lima, em seu blog...usou praticamente...as mesmas palavras e argumentos do Joffre Neto...e vê-lo fazendo a mesma coisa ... foi um golpe muito duro para mim...

NOTA DA REDAÇÃO: fiz matéria sobre a manifestação chamando a atenção dos leitores para a qualidade de quem a convocava. Leia aqui o texto do dia 30 de julho - publicado uma semana antes da frustrada manifestação e do discurso desnecessário de Joffre Neto.

3) Tem nada não... Eles, os que lá estão, são MEROS INQUILINOS esquecidos de que AQUELA CASA É NOSSA!!! Se esquecem de que lá estão por força de uma PROCURAÇÃO que RECEBERAM DE NÓS. Chegam lá e se sentem imperadores, superiores. Vamos despejá-los, mais dia menos dia. O bom de se confirmar o caráter das pessoas e a garantia de nunca mais se enganar em relação a elas.

4) nunca pensei que eu fosse um dia escrever isso, mas ..... DESNECESSARIO ALI sao muitos (a ficha caiu – grifo meu)

5) LAMENTÁVEL a fala e postura deste Joffre Neto, que NÃO merece ser chamado de VEREADOR. Precisa se desculpar publicamente, pelo falta de respeito com o Sr.José Giordano e demais munícipes presentes a Câmara Municipal, além dos que assistiram pela TV Câmara. Arrogante, desequilibrado, despreparado, DESNECESSÁRIO, são adjetivos que lhe cabem neste momento. Usar da sua posição de político e do espaço da tribuna para desrespeitar um munícipe, foi demais! Um erro não justifica o outro, Joffre Neto. No ditado popular deveria olhar o seu rabo, antes de falar da vida alheia. Esqueceu daquele seu processo que corre na justiça, o qual tentou pedir para correr em segredo de justiça.???? Os cidadãos que estavam ali, alguns antigos ALIADOS, estavam no mesmo lugar onde ocuparás nos anos anteriores. Reivindicando e denunciam os mesmos temas antes defendido por você. Remoção dos vidro, mudança de horário da sessão, contenção de gastos, clientelismo, assistencialismo, fura filas. Cobrando os CINCO princípios constitucionais da Administração Publica: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade, Eficiência, de maneira que o Gestor Público ofereça ao cidadão, mais serviços, com melhor qualidade, no menor tempo e com redução de custos.

O fato, este sim relevante, é que o catão da Vila São Geraldo se desnudou publicamente ao ofender indiscriminadamente, quem protesta contra os gastos exorbitantes da Câmara Municipal.

Não é um discurso do vereador desnecessário que vai desmobilizar a população que, espero, acompanhe de perto os vereadores.

Aliás, para que 19 vereadores? Não poderia ser 15?