Páginas

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

PROTESTO LIDERADO POR
CORRETOR FOI UM FIASCO

Para quem pretendia liderar um movimento contra os gastos “excessivos” da Câmara Municipal, a emenda foi pior do que o soneto. Se ficasse quietinho em casa, calculando como fazer para recuperar os cheques voadores que tem na praça, o defectível corretor poderia ter uma noite de sono tranquila, mas não terá.

José Giordano, o corretor em questão, age de acordo com seus propósitos, para atingir objetivos inconfessáveis. Sua liderança é pífia e se faz pelo Facebook. Ele se dá mais importância do que tem. Sua arrogância pode se comparar a de um ou outro vereador que foi atacar pelo que considera desperdício de dinheiro público.

O fiasco protagonizado pelo corretor na tarde desta quarta-feira (7), que reuniu menos de vinte manifestantes durante a sessão ordinária da Câmara Municipal só não foi maior porque ele se retirou do plenário quando os vereadores fizeram sua apresentação pública para os incautos taubateanos que o acompanharam no vexaminoso protesto.

Protesto liderado por José Giordano (de megafone) foi um fiasco
Um disse que Giordano pretendia “ganhar” uma secretária no governo do futuro ex-prefeito de Taubaté, mas foi rechaçado. Outro lembrou que o corretor tem uma infinidade de cheques com insuficiência de fundos na praça e, por isso, responde alguns processos.

O (ex?) corretor José Giordano não cansa de se desmoralizar. Arrogante, pretendia filiar “seu” grupo em um partido político, desde que um deles fosse candidato a prefeito. Não teve sucesso. Criou novo grupo e lançou um candidato a prefeito desta urbe quase quatrocentona. Tudo o que conseguiu foi a demissão do ex-candidato, que perdeu um emprego de aproximadamente R$ 10 mil por mês.

Desesperado para ganhar uma “boquinha” no serviço público para complementar sua renda, gasta seu tempo ocioso para maquinar formas de se manter á tona na vida política e social de Taubaté. Estaria, agora, articulando a volta do ex-prefeito Roberto Peixoto (sem partido) á lide política.

José Giordano é incapaz de pensar com o próprio cérebro. Passa o dia visitando sítios de extrema direita, homofóbicos, racistas, machistas e os reproduz em sua página no Facebook como se fossem remédio para os nossos males.

Oportunista, o corretor tentou mobilizar a sociedade para protestar contra a Câmara Municipal. Dançou! Quando a caixa de pandora de sua vida particular foi aberta pelos vereadores, Giordano enfiou a viola (melhor, o megafone) no saco e retirou-se sorrateiramente do plenário.

Os vereadores que usaram a tribuna para zombar do corretor não são flor que se cheire. Joffre Neto (PSB) e Bilili de Angelis (PSDB) têm o rabo tão preso quanto o do protestante. 

Enfim, foi uma sessão em que o roto foi cobrar do esfarrapado mais seriedade.