Páginas

terça-feira, 20 de agosto de 2013

UM LEÃO MENOS VORAZ

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal vai sugerir ao congresso, na próxima semana, uma nova base de cálculo para a correção da tabela do imposto de renda.

A proposta pode amenizar a defasagem entre a tabela do imposto de renda e a inflação, diferença que pode chegar a 62 por cento até o fim do ano. Os auditores fiscais querem domar o leão. Doutriná-lo com hábitos alimentares, de modo que fique menos faminto.

Desde maio, o Sindifisco está em campanha pelo “Imposto Justo”, visando convencer congressistas quanto à necessidade de reduzir as injustiças fiscais provocadas pela não correção da tabela. Principalmente diante de projeções do Ministério da Fazenda, de que ainda haverá aumento de inflação em 2013.

A sugestão do sindicato permitirá que a tabela seja atrelada à evolução da renda do trabalhador que faz a declaração do imposto.  Atualmente, a correção da tabela vem sendo estipulada pelo governo em 4 e meio por cento sobre a meta de inflação estabelecida pelo IPCA.

A proposta é ter como referência a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, um índice oficial do IBGE. Isso resultaria, por exemplo, em aumentar de 3 mil para até 12 mil reais o teto de dedução com gastos com educação no Imposto de Renda.

Nada mais justo!

Falei e disse!