Páginas

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

SUS É UM RALO SEM FUNDO

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

Auditoria revela que em cinco anos 502 milhões de reais foram desviados do SUS, aplicados irregularmente por prefeituras, governos, instituições públicas e particulares. Graças à fiscalização, o Ministério da Saúde tentará reaver o dinheiro das irregularidades identificadas em 1.339 auditorias feitas entre 2008 a 2012.

Para burlar as contas do SUS, gestores falsificam registros hospitalares ou inserem em seus cadastros profissionais "invisíveis".

Há casos de pacientes que num único dia, receberam 201 atendimentos numa clínica de Água Branca, no Piauí. O mesmo local cobrou tratamentos em nome de mortos.

Também há casos de equipamentos doados e não encontrados, cobranças indevidas, problemas em licitação e prestação de contas, suspeitas de fraudes e favorecimentos.

Em Nossa Senhora dos Remédios, também no Piauí, de 20 profissionais cadastrados nas equipes do Programa Saúde da Família, 15 nunca haviam dado expediente.

Em Ibiaçá (RS), remédios do SUS foram cedidos a pacientes de planos de saúde.

Com o valor desviado, por exemplo, poderiam ser construídas 227 novas unidades de pronto atendimento – UPAS; ou, ainda, 1.228 novas unidades básicas de saúde – UBAS.

A prevalecerem as fraudes e a impunidade, de nada adiantarão “mais médicos”.