Páginas

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

CAJAZEIRAS REPUDIAM CATÃO
E PEDEM PERDÃO A ELEITORES

Idolatrado em 2012, chamado de “chefe” por uma de suas ex-escravas mentais, o catão da Vila São Geraldo, em menos de onze meses de mandato, perdeu o apoio de quem o ajudou a se eleger vereador. Vai pagar a conta com o ostracismo político.

A influência de Joffre Neto sobre seguidores fanatizados pela sua falácia empolada, defensor intransigente da transparência no governo Peixoto, atravessou o ano eleitoral. Seu objetivo foi alcançado por escassos 119 votos a mais que seu suplente, destaca um ex-correligionário, hoje seu inimigo figadal.

Uma rápida passada pelas redes sociais revela o quanto o catão da Vila São Geraldo desagradou antigos colaboradores. Sua impostura se assemelha à do reverendo americano Jim Jones, aquele que levou mais de 900 pessoas a se suicidarem na Guiana, por acreditarem em sua pregação.

A “igreja” da moral e da ética erguida pelo catão da Vila São Geraldo ruiu, não sem antes levar ao “suicídio eleitoral” milhares de incautos eleitores taubateanos. Mas esta é outra história.

Bom saber que o grupo reconhece o erro cometido há menos de um ano. Não sei se estão arrependidas de pedirem, na Justiça, o fechamento deste blog (processo 1325/12).

Também ignoro se estão arrependidas por criarem o Comitê da Faxina, que só funcionou quando o prefeito era Roberto Peixoto e não deu o ar da graça desde a posse do prefeito-cassado pela Justiça Eleitoral, a quem jamais criticaram.

Ao contrário, soltaram fogos e inundaram as redes sociais com o embuste palaciano da absolvição de Ortiz Junior, que não houve. O alcaide responde a um processo eleitoral e outro cível, sem contar o recurso contra sua cassação, que está na fila do TRE para ser julgado.

Pincei algumas frases dos “arrependidos”, publicadas em rede social no FB. Ei-las:

O vereador desnecessário continua sua saga na direção de dividir a Cidade em 19 Regiões Legislativas, já delimitou e se apossou da Região da V.S. Geraldo e até levantamento, através de assessores, fez para saber o que precisa ser consertado nas ruas e praças do Bairro”.

“Ele (Joffre Neto) percebeu (XXXXXX) que perdeu a confiança dos formadores de opinião que o ajudaram a se eleger e então busca uma outra maneira, que combatia quando não estava vereador, a de praticar o assistencialismo. Ninguém que nele votou poderia imaginar que quando lá chegasse faria exatamente tudo que combatia. As pessoas que nele confiaram estão se sentindo que foram usadas.”

Ele (Joffre Neto) se sente um Deputado Distrital !!!! rsrsrsrs”...”Cargo mais pomposo do que simplesmente um político e seu curralzinho eleitoral em busca de seus votinhos....rsrsrs”.

“O triste é o cara (Joffre Neto), quando aqui fora combater essa prática e depois de eleito faz exatamente o mesmo”.

Não me sinto "usada", simplesmente porque o que fiz para eleger o vereador, era um projeto de um grupo que visava ter dentro da Câmara, um político que nos ajudasse a continuar nosso trabalho de fiscalização e moralização do erário público. Quem combatia o clientelismo e o assistencialismo... não era o vereador, era esse nosso grupo... ele apenas seria nosso representante no legislativo. Tivemos um erro de avaliação ... a pessoa em questão não estava interessada nos anseios do povo e sim na realização de um sonho pessoal.”

Foi um baque duro para todos nós... mas vamos seguir em frente, que 4 anos passa muito rápido.”

“Qdo me decepcionei fiquei quetinha (sic), axei (sic) que era somente eu .. que a coisa fosse somente comigo..... mas qdo soube destas outras pessoas tão importantes, que fizeram uma diferença enorme no período da campanha .... minha decepção aumentou, não pude acreditar, demorou pra cair minha ficha... e pasmem ..... tem uns dois que não sofreram decepção..... porque será ???? NR: um deles, com certeza, é Zeca Cobra, assessor do catão da Vila São Geraldo.

“Ahhh claro o grande defensor da democracia que apaga meus comentários no seu face quando faço alguma critica. Que só faltou bater na cara do Saad por suas ações eleitoreiras gritando aos quatro ventos a falta de ética da câmara. Folgo em saber que o apoio dos que o ajudaram a se eleger ele perdeu.”

“Pois então (XXXXXX) a vida é assim, aprendemos com nossos erros... me resta (sic) pedir perdão aos que eu levei a votar nele ...ao acreditar em seus argumentos!!!!”

“Foi um trabalho muito duro(XXXXXXX) no mesmo tempo em que trabalhávamos para angariar votos.... trabalhávamos para o suplente , não angariar votos... a vaga era de um ou de outro.” NR: Rodson Lima Junior (PP) é o suplente do catão da Vila São Geraldo.

“Eu mesma sou cobrada por votos que consegui pra ele (Joffre Neto) ....”

“Pelo andar da carruagem e da lógica o Joffre não se reelege. Ele foi eleito pela classe média verdadeira com apoio de formadores de opinião da sociedade taubateana, que estão em sua maioria completamente decepcionados com o desempenho e postura do desnecessário. Como é um prepotente, arrogante e antipático, não têm nenhuma penetração junto aos mais humildes. Ele tenta agora através do assistencialismo barato agradar os menos favorecidos mas não é da natureza dele, as pessoas percebem que é uma pessoa problemática e que pouco pode ajudar. Ainda é cedo para falar em reeleição. Ele ainda vai tentar todos os anos ser presidente da Câmara, sem sucesso”