Páginas

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

A RESPOSTA DE DILMA

A presidente Dilma Rousseff prova, mais uma vez, que é republicana e extremamente democrática ao convidar os ex-presidentes brasileiros vivos para as exéquias de Nelson Mandela, líder político e humanitário mundial, na África do Sul.

Lula, FHC, Collor e Sarney foram reunidos por Dilma para as últimas homenagens ao grande líder sul-africano. Com o gesto, a presidenta brasileira mostra-se, acima de tudo, uma estadista, que sabe separar a política da homenagem a quem merece ser homenageado.
O que conversarão a presidenta e os ex-presidentes no avião que os levará ao funeral de Mandela creio que provavelmente nada saberemos.

Fico imaginando FHC olhando para Lula na viagem e pensando: “Onde foi que eu errei?” Por que vendi as estatais brasileiras a preço de banana e aumentei a dívida externa do Brasil? Por que o dólar disparou sob o meu governo, batendo na casa dos R$ 4,00? Por que não construí nenhuma faculdade pública em meu rein... quero dizer, governo?”

Absorto, FHC mal consegue mirar seus interlocutores. Pensativo, perguntará a si mesmo: “Minha biografia será só aquela do Príncipe da Privataria”? “Será que o que me resta de vida será apenas para ouvir falar de tremsalão tucano, mensalão tucano, privataria tucana? Querem me enlouquecer?”.

A inveja, ah!, maldita inveja, tomará conta do Príncipe da Privataria quando ele ouvir os discursos de Dilma e o de seu colega americano Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, assim como Mandela foi o primeiro presidente negro sul-africano.

Sarney, Lula, Dilma. FHC e Collor: homenagem de ex-presidentes do Brasil a Manela. Foto: Brasil 247
A demonstração de civilidade da presidenta do Brasil deve incomodar, e muito, FHC, cuja verborragia só serve para reforçar o ego da elite que nada fez para mudar o Brasil como tem acontecido nos últimos dez anos.