Páginas

domingo, 12 de janeiro de 2014

SER CONTRA A COPA É BURRICE OU MÁ FÉ

Antonio Barbosa Filho, jornalista

Circulam na internet convocações para protestos contra a realização da Copa do Mundo de Futebol no Brasil, daqui a seis meses. Organizam-se manifestações antes e durante os jogos, e alguns grupos radicais do tipo "black blocs" publicam instruções para que seus simpatizantes levem armas, máscaras contra gás, bastões, e outras ferramentas típicas de terroristas urbanos. Tudo isso vem sendo acompanhado de perto pelos órgãos de segurança do governo, que suspeitam de orientação e patrocínio estrangeiro para tais agitações, com fins eleitorais ou de desestabilização política.

O principal sítio na internet que atua na preparação dos tais "protestos" tem entre seus colaboradores o Sr. James Louis Cavallaro, que é nada menos que o representante dos Estados Unidos na Comissão de Direitos Humanos da OEA - Organização dos Estados Americanos. Ou seja, um funcionário de governo estrangeiro participa da preparação - e fornece dinheiro - de atos internos que interferem na vida política, social e esportiva do Brasil. Imaginem se um funcionário do governo brasileiro doasse dinheiro para os jovens que invadiram o centro financeiro de Nova Iorque, no movimento conhecido como "Occupy Wall Street" (Ocupar Wall Street, a rua da bolsa de valores em Nova Iorque)! Talvez fosse motivo para os EUA declararem guerra ao Brasil, coisa que eles adoram fazer contra países mais fracos.

Internamente, também a ex-ministra do governo Lula e hoje filiada ao PSB, de oposição ao governo Dilma, Marina Silva, tem lançado manifestos conclamando o povo a ir para as ruas protestar durante a Copa do Mundo. Ela sabe que a imprensa de todo mundo estará dando grande espaço ao Brasil; sujar a imagem do governo petista, mesmo que a custa de violência e, quem sabe, de mortes em confrontos com a polícia, daria uma imagem de descontrole, fraqueza do governo, o que poderia ajudar Marina em seus projetos eleitorais. É o que ela e a oposição pensam e admitem publicamente. Contam com o apoio da "grande" mídia, especialmente o sistema Globo que, já nos protestos de junho, tentou transformar os protestos pacíficos e localizados numa revolução popular contra Dilma, Lula e tudo que o governo trabalhista representa. O povo percebeu a manobra, e logo os repórteres da Globo tinham que esconder suas viaturas e o logotipo da emissora dos microfones, para não serem linchados pelos manifestantes que ela queria manipular.

A COPA DARÁ LUCRO

Estudo feito pela mais importante escola de Economia do Brasil, a Fundação Getúlio Vargas, mostra que, em números redondos o Brasil vai investir 33 bilhões na Copa, e vai lucrar 183 bilhões de reais nos próximos dez anos, em consequência deste megaevento.

Na verdade, o governo federal vai investir apenas 11 bilhões de seu Orçamento, dos quais arrecadará imediatamente cerca de 7,5 bilhões em impostos. Há também empréstimos feitos pelo BNDES a Prefeituras, governos estaduais e empresas privadas, para a preparação da Copa, que serão pagos como operações bancárias normais. Não é dinheiro a fundo perdido.

Haverá benefícios diretos - pelas obras de infraestrutura em andamento, turismo, impostos, e consumo - e indiretos, pela circulação da imensa quantidade de dinheiro dentro do País, durante e depois do campeonato.

Prevê-se que o Brasil receberá 600 mil turistas estrangeiros durante a Copa, e que três milhões de brasileiros vão se deslocar entre as capitais-sedes dos jogos. Juntos, gastarão cerca de 9 bilhões de reais. Serão criados aproximadamente 700 mil empregos diretos e indiretos, em setores como os estádios, aeroportos, portos, mobilidade urbana, telecomunicações, energia, segurança, saúde, hotelaria e outros. Os 17 bilhões em impostos federais, recolhidos de todos os setores nos próximos anos, só em função da Copa, são 30 vezes mais do que as isenções de impostos concedidas à FIFA e empresas por ela contratadas.

Outra mentira que vem sendo espalhada pelos inimigos da Copa é de que tais recursos seriam melhor empregados na Saúde e na Educação. No ano passado, o Governo federal gastou 3 bilhões com a Copa, diretamente, e 53 bilhões com a Saúde. As verbas para Saúde e Educação são "blindadas" no Orçamento, e jamais o Governo poderia tirar dinheiro desses setores para investir na Copa.

Os que organizam a bagunça sabem de tudo isso, mas precisam criar mentiras para justificarem os protestos que pretendem fazer, único meio que encontraram para ajudar uma oposição sem programa e sem candidato a derrotarem Dilma Rousseff nas eleições de outubro. Eu aposto que a massa de brasileiros, que ama o futebol e ficou feliz com a escolha do Brasil - uma honra disputada pelos mais importantes países do planeta - não irão nesta conversa mole.

Protestar, até que podem, já que vivemos em plena Democracia. Fazer um ato pelo Ateísmo, em Aparecida, no dia 12 de outubro, também é permitido pela lei. Mas você acha que convenceria alguém?