Páginas

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

"VIRAMOS" O ANO. E AGORA?
O QUE NOS ESPERA EM 2014?

2013 já é história. 2013 ficou para trás. 2013 foi um ano de sobressaltos políticos. 2013 foi o ano em que a Justiça Eleitoral cassou os mandatos do prefeito e do vice-prefeito desta urbe quase quatrocentona.

Ao olhar para o ano que se encerra, seremos assaltados por lembranças que não gostaríamos de rememorar. Podemos “esquecer” nosso passado recente, mas o pensamento é incontrolável. Ele volta teimosamente. Não deixa nosso sinal de alerta desligar. É a vida real, não a que gostaríamos de viver.

A realidade para os funcionários públicos municipais de Taubaté é crua. Eles jamais esquecerão que passaram um ano inteiro sem um único centavo de reajuste salarial e que a perspectiva para este ano que começa não é das melhores. Seus sonhos foram sepultados precocemente.

Estamos em 2014. Com o novo ano, volta a esperança de que, finalmente, viveremos dias melhores. Mas, o que pode acontecer de tão importante capaz de nos alentar para os dias que virão?

A primeira e mais importante será o julgamento do recurso de José Bernardo Ortiz Monteiro Junior, aqui chamado de futuro ex-prefeito, pelo Tribunal Regional Eleitoral, contra sua cassação.

Em sua última sessão de 2013, no dia 20 de dezembro, o procurador regional eleitoral Paulo Thadeu Gomes da Silva exarou parecer em que aceita o recurso do MPE para incluir José Bernardo Ortiz no polo passivo da ação eleitoral em que seu filho foi cassado pela Justiça Eleitoral.

A segunda mais importante será a reabertura da AIJE 952-92.2012.6.26.0141, que apura possível lavagem de dinheiro na campanha eleitoral tucana em 2012 para a Prefeitura desta urbe quase quatrocentona.

O arquivamento do processo decretado pela JE de Taubaté foi derrubado por decisão unânime do TRE. A reabertura do processo acontece neste primeiro trimestre de 2014, quando deverão ser ouvidos os testemunhos de aliados e ex-aliados  do tucano para explicar em que condições foram feitas doações para a campanha do futuro ex-prefeito de Taubaté.

Confira aqui a "lista do Chico" para saber mais.

O ano será tenso para José Bernardo Ortiz Monteiro Junior, que tem contra si um processo (0045527-93-2012.8.26.0053) por improbidade administrativa tramitando na 14ª Vara da Fazenda Pública da Capital, cujo desfecho deve acontecer neste ano.

O ex-prefeito Roberto Pereira Peixoto (PEN) também vive momentos de tensão. Às voltas com a Justiça Federal, o ex-prefeito de Taubaté responde a dois processos no Tribunal Regional Federal da 3ª região (São Paulo): um por formação de quadrilha e outro por fraude em licitação. Ambos correm em segredo de justiça.

A Vara da Fazenda Pública de Taubaté deve julgar ainda deste ano o processo por improbidade administrativa contra os vereadores Carlos Peixoto, atual presidente da Câmara Municipal, e Joffre Neto, por fraude em licitação.

O catão da Vila São Geraldo saracoteou pelos tribunais superiores para barrar a ação civil. Não conseguiu. Agora vive a expectativa de sofrer outro processo, desta vez em São Luiz do Paraitinga, onde prestou desserviço na Câmara Municipal. O assunto está sendo investigado pelo Ministério Público.

Para completar o quadro, caso seja confirmada pelo TRE a cassação de Ortiz Junior, ainda poderemos ter eleições até o final do primeiro semestre de 2014. O ano eleitoral promete ser movimentadíssimo em Taubaté.