Páginas

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

DIREITA CANALHA, TERRORISTA

Silvio Prado, professor

Tudo bem que a Copa do Mundo, da maneira como foi organizada no Brasil e o quanto ela arrancou de dinheiro público, não são coisas para se aceitar friamente. Precisa ocorrer mesmo protesto e demonstração de descontentamento por parte da população, afinal o país, mergulhado ainda em escandaloso desnível social, não vive uma situação de fazer inveja a ninguém e precisa, pela força do  povo, corrigir suas mazelas.

Todo protesto é legitimo, principalmente se ele visa defender o dinheiro público desviado para finalidades que geram lucros espantosos para os bandidos da iniciativa privada. Porém, se o protesto é legítimo, democrático e pretende trazer benefícios para a sociedade, por que milhares de panfletos denunciando os gastos  da copa não trazem assinatura e nem identificação de seus autores ou das entidades promotoras?

Por mim podem quebrar todos os bancos, agências de carros luxuosos e tudo que significa ostentação e luxo capitalista numa sociedade que trabalha para alimentar lucros e privilégio de poucos. Podem quebrar e demolir tudo, mas  façam de cara limpa, não se escondam atrás de um pano preto e jamais  se deixem manobrar por grupelhos sempre saudosos da ditadura militar.

Por outro lado, não é preciso pensar duas vezes sobre a origem dos panfletos que inundam o país afirmando categoricamente que não vai haver copa. Quem mais produziu tal panfleto a não ser essa gentinha escrota ( e perigosa) da extrema direita brasileira, que tem vergonha e medo de, na luz do dia, defender suas posições?

 São eles, os anônimos de todo dia, que não assinam nada, não expõem o rosto, que sabem muito bem da indignação da população e, usando os gastos da copa, querem repetir junho de 2013 e, enchendo as ruas, fazê-las voltar contra o governo petista e destruir as pretensões eleitorais desse partido.

Em Taubaté, nas ruas e principalmente nas redes sociais, cruzamos com eles diariamente e suportamos insinuações maldosas, preconceitos, acusações falsas, numa técnica de desestabilização muitas vezes primária. Apesar de causar nojo, não se estranha essa prática. Ela foi usada contra Getúlio Vargas e resultou em sua morte. Foi usada em 64, e ajudou a gerar o golpe militar e botar no poder uma corja de doentes que tiveram incontidos orgasmos nos porões dos quartéis,  torturando, matando e desaparecendo corpos.

Foi usada nas quatro últimas eleições presidenciais, mas não impediu as vitórias petistas. Agora, no caso do cinegrafista morto no Rio de Janeiro, mostram exatamente o que já era previsto: além do PT, eles querem a cabeça e o coração de toda a esquerda. Essa gentalha está  no lugar de sempre, eternamente escondida, muito bem camuflada por diplomas e títulos, dinheiro de sobra e espaço privilegiado na midia, achincalhando, tentando demolir o  pouco de democracia que existe nesse país infeliz, tentando jogar o povo contra si mesmo.

Honrando certos princípios, sempre assinei embaixo do que escrevi e falei. Nunca usei do recurso do anonimato. Por isso, caso eu tenha o azar de encontrar alguém emporcalhando a cidade com esse lixo ideológico, isso não vai ficar barato não!

Em tempo: durante mais de 24 anos militei no Partido dos Trabalhadores, o que me deixa orgulhoso porque foi uma experiência rica de significados. No entanto, discordando com os rumos tomados pelo partido, hoje estou fora e sigo, muitas vezes isoladamente, na militância por uma sociedade justa, democrática, socialista e não acho que a minha luta passa exclusivamente por protestos como os que estão sendo preparados para durante a copa. Defendo o direito dos que vão protestar contra o evento. Porém, se houver protesto da minha parte, vou fazê-lo sem emprestar meu fôlego e minha consciência para os escrotos da direita. Essa gente eu quero ver, toda ela, pendurada e secando nos postes.