Páginas

sábado, 15 de fevereiro de 2014

LIBERDADE, SIM! LIBERTINAGEM, NÃO!

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

Últimos acontecimentos em manifestações aceleram tramitação no senado, da proposta de classificar como terrorismo a violência durante atos de protesto. Mas a Comissão de direitos humanos não está de acordo.

Vale ponderar que não se pode confundir liberdade de manifestação com libertinagem de manifestação. Para tudo na vida há de haver parâmetros. A pretexto de salvaguardar a democracia conquistada a duras penas, como dizem os humanistas, não se pode liberar geral e deixar queimar ônibus, assassinar jornalistas, ferir e matar PMs, e, muito menos ferir e matar pacifistas que se encontram nos atos, de coração puro, com a melhor das intenções.

Não é admissível bloquear rodovias, impedir a liberdade de ir e vir nos centros urbanos. Assim como não é correto permitir que aqueles que nos visitam, antes, durante e depois da Copa venham a ser molestados, levando daqui a péssima impressão, de que somos um país de vândalos.

Liberdade, sim! Libertinagem, não!

Falei e disse!