Páginas

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

POR QUE TIREI DO AR A ENQUETE
QUE FAZIA SOBRE "PREFEITÁVEIS"?

A intenção foi a melhor possível: saber dos internautas qual o candidato que prefeririam em caso de eleição extemporânea para prefeito desta urbe quase quatrocentona. Retirei a enquete do ar no final da tarde desta terça-feira (04/01) por entender que o resultado estava viciado.

Para o internauta entender o porquê da medida, devo explicar que até a última sexta-feira (31/01), pouco menos de 400 votos havia sido registrados, com larga vantagem para Salvador Khuriyeh (PT), seguido de longe por outra possível candidata, a vereadora Pollyana Gama (PPS).

Atrás dos dois vinha o empresário André Saiki (PSD) e mais atrás ainda o vereador Rodrigo Luís Silva – Digão (PSDB) e o deputado Padre Afonso Lobato (PV). Os votos em outro superavam estes três candidato. Quem não votaria em nenhum dos nomes apresentados tinha o menor porcentual.

Meu parco conhecimento de informática não me permite dizer que o blog foi invadido por hackers, que mudaram exponencialmente os resultados registrados até então (31/01).

Como usuário, no entanto, fiquei desconfiado com os mais de 400 votos registrados em apenas três dias, contra o mesmo número de votos registrados entre 5 (quando iniciei a enquete) e 31 de janeiro.

Imaginei que haveria pouca mudança se mantivesse a pesquisa no ar até a data prevista. Resolvi abrevia-la para a zero hora desta quarta-feira (05/02).

Não é possível, para mim, afirmar que o candidato “a” ou “b” seja o responsável pela mudança brusca nos votos registrados, quer “convocando” seus correligionários a votar na enquete, quer hackeando o blog para fraudar o resultado.

O que eu sei, e posso afirmar com todas as letras, é que qualquer enquete que se faça no blog, o controle é feito pelo servidor (no meu caso o Google), que só aceita um voto por IP, o RG do computador (cada um tem o seu).

Um amigo me informou que é possível mudar o IP do computador para praticar fraudes. Tem lógica. O IP de seu computador é reconhecido pelo computador de seu banco e lhe permite acessar sua conta. O mesmo vale para você entrar, com seu nome verdadeiro, em suas contas de email e redes sociais.

Pela lógica da informação que me foi passada, pensei em todas as variáveis possíveis sobre o resultado que, para mim e para um dos nomes constantes na lista de “prefeitáveis”, estava viciado.

É impossível, para mim, afirmar quem foi o maior prejudicado com a provável manipulação do resultado ou o maior beneficiado. Infelizmente, o resultado final da enquete não é crível, por isso a enquete foi tirada do ar.

Abaixo os números finais, agora sem valor algum. Todos perdem: o blog, porque sai arranhado; e os “candidatos”, que perderam um parâmetro para aferir suas possibilidades eleitorais.

Peço desculpas àqueles que, de boa fé, atenderam ao nosso chamamento e  votaram. Infelizmente, alguma coisa deu errado.

Até o dia 31 de janeiro, menos de 400 internautas haviam votado. Em apenas 3 dias apareceram  mais de 450 novos "eleitores", alterando totalmente os resultados apurados nos 30 dias anteriores. A enquete ficou viciada.