Páginas

domingo, 9 de fevereiro de 2014

VOCÊ É UM POLÍTICO,
E NÃO PODE ESCAPAR DISSO

Segundo e último artigo de Barbosa Filhos sobre participação popular na política

Antonio Barbosa Filho, jornalista

Quando vejo nas redes sociais e outros meios pessoas inteligentes e bem-intencionadas pregando contra "a Política" e "os políticos", percebo que falta faz um esclarecimento sobre o real funcionamento da Sociedade em que vivemos e o papel das instituições democráticas.

Não é verdade que a Política é apenas um jogo sujo. Ela pode ser uma Arte nobre, digna, pela qual a comunidade busca as melhores soluções para seus problemas. Se você se considera honesto, e se a maior parte das pessoas também, não há razão para que só a Política seja algo emporcalhado. Somos nós que fazemos a Política, e o tempo todo. Quando você paga um imposto, ou sonega, quando escolhe uma ou outra profissão, quando entra para um clube ou para uma entidade religiosa, está tomando decisões puramente políticas (pólis, em grego é "cidade", politikos significa "cidadão").

Vejo pessoas respeitáveis, algumas até idealistas, fazendo campanhas do tipo "fechem o Congresso, fechem a Câmara Municipal", ou "político não pode ter salário". Entendo sua revolta diante de muitos políticos que não cumprem seu elevado papel, que usam a Política como meio de vida, que descumprem as promessas feitas ao eleitor na hora de pedirem votos.

Porém, não podemos jogar fora o bebê, junto com a água da bacia. Para acabar com os maus políticos, temos que, nós eleitores, fazermos mais e melhor Política. Quando você procura várias fontes de informação, discute com vizinhos, parentes, amigos, colegas de futebol, da cabeleireira, do boteco, os problemas da cidade e as atitudes dos atuais Prefeito e Vereadores, está se preparando para votar melhor. A eleição é apenas um episódio da vida política: se elas não fossem de quatro em quatro, mas de vinte em vinte anos, teríamos Política do mesmo jeito. Portanto, devemos estar sempre nos preparando para votar, acompanhando o que acontece com a cidade (não apenas, mas também, com os políticos).

Devemos ter o olho aberto: mente-se muito em Política. A imprensa não é neutra. Por trás de cada notícia ou comentário, a mídia está tentando te vender uma ideia: ela tem seus interesses políticos e empresariais, faz parte do jogo de poder e está quase sempre do lado dos poderosos do momento.

EXIGIR MAIS

Se você vota no melhor candidato que consegue conhecer, se não troca seu voto por favorzinhos, promessas de empregos ou bens, nem vai na conversa da mídia, está ajudando a cidade e o País a melhorarem. Está votando a seu próprio favor, e não contra você mesmo e sua família.

Mas se, mesmo agindo como um bom cidadão e votando bem, as coisas não melhoram, não queira abolir a Política. Na História, tudo é mais lento do que na nossa vida, é preciso paciência e mais ação. O bom da Democracia é isso: se erramos numa eleição e o vitorioso é um incompetente, um desonesto, um demagogo, sabemos que daqui a quatro anos poderemos substituí-lo. Isso vale para todos os cargos, do vereador ao Presidente da República. E mais: se nenhum deles nos satisfaz, sejamos nós mesmos candidatos.

Não adianta ficar de fora do jogo apenas criticando: somos todos políticos e todos nós somos responsáveis. Não queira entregar o poder a um ditador: ele sempre será contra você, contra o Povo, e você não terá meios de reagir.

O que devemos fazer, portanto, é exigir mais dos Partidos políticos. Que eles promovam cursos, palestras, debates, para exporem suas ideias claramente. Há partido que fala que é a favor do Brasil, mas só sabe vender o patrimônio nacional; fala em Povo, mas só quer cortar os direitos trabalhistas, prejudicar os aposentados, dificultar o acesso à Educação, privatizar a Saúde e tudo que interessa ao cidadão comum. Nenhum partido é perfeito, já que todos são formados por seres humanos com suas ambições, vaidades, e alguns até com desonestidade pura. É preciso fazer com que a maioria boa e honesta vá ocupando os espaços até que os picaretas sejam pequena minoria.

Demora? Sim, demora. Mas posso garantir-lhe que já foi muito pior. Foi a ditadura que produziu os maiores corruptos que ainda estão por aí. E ela fez isso prendendo, expulsando, torturando e matando muitos políticos honestos, que certamente estariam hoje fazendo cidades e um País muito melhor.

Os jovens, principalmente, devem exigir muito, com seu entusiasmo e sua coragem, dos Partidos, dos políticos em geral, e da própria sociedade: debatam, estudem a História, sonhem com o Brasil muito melhor, mais justo, mais igualitário. Aposto com vocês que vamos chegar lá. E não depende de eliminar a Política, depende de FAZERMOS MAIS POLÍTICA.