Páginas

sábado, 22 de março de 2014

COLUNA DO CATALDI

Amigos e amigas internautas, após alguns dias de folga, como se aposentado precisasse de férias (rsrsrs), para acompanhar o noticiário pela internet e meditar acerca das eleições de outubro e a situação política atual de Taubaté, não cheguei a nenhum conclusão (rsrsr). Recomeço com duas informações do amigo José Carlos Cataldi, residente em Pindamonhangaba, ex-apresentador de programa na TV Educativa (atual TV Brasil), que colabora diariamente com este blog sempre com informações de interesse geral.

O DIA NA HISTÓRIA

Quarta-feira, 19 de março. Faltam 287 dias para o fim do ano. 1 para a chegada do outono... 26 para a Páscoa... 85 para a copa... é dia Nacional do Artesão, do Carpinteiro, do Consertador e da Escola. Data da estréia mundial da ópera “O Guarani”, do Campinense Carlos Gomes, no teatro Scala de Milão (1870).

SENADO VOLTARÁ A DISCUTIR MAIORIDADE PENAL

Proposta de redução da maioridade penal volta à pauta do senado. A reinclusão decorre de recurso apresentado pelo Senador Aloísio Nunes, do PSDB de São Paulo, que contou com significativo apoio das bancadas.

A premeditação de alguns menores para a prática de crimes tem levado à reflexão muitos juristas, sobre a necessidade de alterar a Constituição, o Estatuto da Criança e do Adolescente e o código penal. Mas isso seria necessário?

O jurista carioca Jorge Béja diz que não. Apresentou estudo muito interessante que repercuti em meu blog e na Rede Brasil Diário, além de enviar ao senador Marcelo Crivella do PRB do Rio de Janeiro: ”nem todo menor de 18 anos é penalmente irresponsável. Há exceções”. E, segundo Béja, é desnecessária emenda à constituição.

Aferido através de exames médicos especializados se o menor estava, ao tempo do ato que praticou, nas condições de inimputabilidade previstas que o artigo 26 do Código Penal, fica isento de pena. Se o laudo concluir que não estava, cometeu crime. Deve ser responsabilizado como qualquer adulto com mais de 18 anos de idade.

É o caso recente de um rapaz que matou a namorada e, em seguida,  apresentou-se à autoridade policial, apontou para o relógio de pulso, e pediu ao delegado de polícia que registrasse dia e hora da sua apresentação. E, concluiu: "quando der meia-noite, completo 18 anos de idade e quero que fique registrado que cometi o crime na véspera do meu aniversário".

Premeditou ou não? Sabia ou não sabia o que estava fazendo?

Falei e disse!

ALCKMIN PODE CHUPAR A ÁGUA DE QUASE 40 CIDADES PARA SÃO PAULO

Proposta do governador Geraldo Alckmin, para livrar São Paulo da seca, pega de surpresa 39 municípios do Vale do Paraíba. Nem o lado paulista apoia totalmente a ideia.

Obra proposta de afogadilho é para livrar problema que  vem se agravando e amadurecendo em tonéis de carvalho ao longo de muitos anos. Desde 2009 já vinha sendo denunciado pela SABESP.

Apesar de Alckmin dizer que não haverá transposição, mas, apenas simples interligação em mão dupla, entre os reservatórios que abastecem a Grande São Paulo, há muitos protestos. Governadores do Rio e Minas Gerais negam que tenham dado apoio a ideia.

A transposição é evidente. Haverá variação climática. Mais enchentes na capital paulista , diante do aumento da evaporação alterando o regime de chuvas. Aliás, como acontece em Foz do Iguaçu e Cascavel, no Paraná – por causa de Itaipú; e no norte do Brasil, diante de represas construídas com estudos duvidosos sobre o impacto ambiental.

A esperança de Alckmin não conseguir vestir um santo despindo outros está na Agência Nacional de Águas, a quem compete a palavra final sobre os impactos da transposição, que pode custar mais de 300 milhões de reais.

De antemão, ambientalistas estão seguros de que a obra vai reduzir a oferta de água a cidades mineiras, cariocas e fluminenses. E, em Campos dos Goitacázes, pode agravar o ingresso do oceano no Pontal de Atafona, onde as ondas já engoliram um hotel na faixa litorânea invadida pelo mar.

O homem tem mexido demais no que Deus criou.

Falei e disse!