Páginas

quinta-feira, 10 de abril de 2014

NÃO SIGA O EXEMPLO DE SKAF

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

Por causa da campanha publicitária “Um exemplo a ser seguido”, em que o Sesi/Senai de São Paulo expunha a figura de seu presidente, Paulo Skaf, e pela exposição pessoal antecipada na série partidária, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo condenou o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) à perda de um total de 80 minutos do tempo de propaganda partidária, entre televisão e rádio.

A decisão que antecipei que ocorreria, acolhe a íntegra de duas representações da Procuradoria Regional Eleitoral, indicando que nas inserções "introduz-se ao público o candidato Paulo Skaf”.

A Procuradoria apontou a promoção pessoal do pré-candidato na propaganda partidária, "não apenas por meio da construção das falas em estilo pessoal, utilizando sempre a primeira pessoa do singular, mas também pela ausência do estabelecimento de qualquer elo entre a fala e o programa ou o ideário partidários”. A decisão foi unânime.

Skaf e o Sesi Senai também podem sofrer sanções pela série de propagandas institucionais que, em verdade projetam o candidato ao governo de São Paulo.
Eu avisei. O exemplo não é para ser seguido.

Falei e disse!