Páginas

sexta-feira, 4 de abril de 2014

NO PAÍS MOVIDO A OUVIDORIAS...

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

Hoje dedico este espaço para exaltar o trabalho das Ouvidorias. Serviço público que ainda funciona no Brasil. Falo de duas de primeira grandeza!

Vejam vocês que ao renovar minha carteira de motorista, procurei o Detran de Pindamonhangaba, agora sob nova e ameaçadora direção que empunha e brada com o artigo 331 do Código penal a quem ousa reclamar.

Tomei a providência com um mês de antecedência do vencimento da Carta, como chamam aqui o documento. Em meados do prazo em curso, depois de entregar os papéis e aprovação no exame médico, recebi a informação de que havia “duplicidade de uso do meu CPF”, ou seja, alguém também estaria usando o mesmo cadastro de pessoa física.

A informação foi dada ao léu. Não foi dito quem estaria fazendo bom ou mau uso. Mas era certo que eu teria de me virar e descobrir, para corrigir o problema. Isso me fez pensar muito. Quem poderia estar usando meu CPF?

Acabei lembrando que em meu primeiro casamento, declarava o imposto de renda em conjunto com a ex-esposa que mora no Rio. Era possível e legal fazer isso naquela época.

Por sorte, findo o casamento, permaneceu o respeito e amizade. E ela enfrentou a fila do Detran do Rio, calor de 42 graus, para alterar os dados, recebendo o informe de que isso demorava em média 60 dias. Minha carteira já estaria irremediavelmente vencida.

Procurei a Ouvidoria do Detran do Rio pela internet. Lá encontrei a bondosa alma de Karina Continentino Porto. Acolheu meu pleito em menos de 48 horas e comunicou-me a atualização dos dados no cadastro nacional.

Informados do cumprimento da exigência, funcionários do Detran de Pindamonhangaba disseram que, mesmo assim, a expedição do novo documento seria demorada.  Afinal, segundo eles, “tem gente esperando há dois anos”.

Achei que era hora de recordar princípios que conheci na Infantaria. Afinal, o Infante é superior ao tempo. Sabe conjugar o verbo TV: na primeira pessoa, TE VIRA.

Foi ai que procurei, também pela internet, a briosa equipe de Vera Melo, da Ouvidoria do Detran de São Paulo. Menos de 24 horas depois veio a informação de que a nova carteira fora emitida no dia primeiro de abril. Pensei que era gozação, mas foi verdade.

Acreditem! As ouvidorias funcionam!

Parabéns Karina Continentino Porto (Detran Rio); seu Pai foi meu colega no Jornal Última Hora e meu diretor na Rádio Nacional do Rio de Janeiro, onde me readmitiu anistiado. E você nem sabia disso quando me atendeu com todo respeito.

Parabéns Vera Melo e equipe (Detran SP). Presteza e respeito ao Cidadão!

Pena não poder dizer o mesmo ou falar bem da atual direção e equipe do Detran ou Ciretran de Pindamonhangaba. Aqui mudam as siglas, mas o serviço piora e o desrespeito aos idosos aumenta.

Falei e disse!!!