Páginas

sexta-feira, 23 de maio de 2014

FANTASMAS DO PASSADO

Celso Brum, sociólogo e professor

Atendendo proposição do diretório nacional do PSDB, a ministra Laurita Vaz, do Tribunal Superior Eleitoral, proibiu o PT de continuar veiculando o comercial de televisão sobre os “fantasmas do passado”.

Os tucanos argumentaram que a peça publicitária seria propaganda eleitoral antecipada, violando o prazo permitido por lei. E a magistrada afirma que a peça sinaliza, “ainda que de forma dissimulada”, para a continuidade do governo Dilma. O PT já recorreu para derrubar a decisão da ministra. Na prática, o PT está proibido de falar em política.

O comercial do PT não é propaganda antecipada, embora a juíza diga que é, “de forma dissimulada”. É uma interpretação da juíza, como tantas outras interpretações, sempre que o PT deva ser devidamente ferrado. O comercial é, sem dúvida nenhuma, uma peça política e partidária, o que é direito do PT (e de qualquer partido). Política porque revela ideais do PT, em relação ao povo brasileiro, em especial aos mais necessitados. É partidária porque obviamente se refere aos méritos do partido para realizar os seus ideais.

O comercial, para quem não viu, apresenta situações em que pessoas em boa situação se enxergam como pobres, miseráveis e desempregados, os tais “fantasmas do passado”. Muito bem feito, artisticamente impecável, com um fundo musical impressionante, é de tocar o coração. Daí a revolta dos fascistas em geral, da direita enrustida que se encontra, em grande parte (a maior parte) de setores do poder real do Brasil.

Já afirmei, em outras oportunidades, que o poder real do Brasil (não menos de 90%) está nas mãos da direita. É verdade que existe uma pequena parte da direita que é civilizada. Civilizada, porém, quase sempre inerme e inerte. A maior parte da direita atuante é francamente incivilizada e golpista até a medula.

Mercê de 500 anos de predomínio das elites, estas se fortaleceram de tal forma que, romper os grilhões do passado – de uma maneira civilizada e sob o império da lei – é coisa mais difícil do que realizar os 12 trabalhos de Hércules.

O governo popular, conquistado pelo PT com a legitimidade das urnas, surpreendeu as elites, realizando proezas com as quais as elites nunca se preocuparam. Para as elites, o povão sempre foi apenas estatística e a pobreza sempre foi uma fatalidade histórica. O ideal das elites sempre foi uma democracia sem povo e o poder absoluto praticado por seus representantes. Para as elites, tudo; para o povão, as migalhas. Em raros e curtos momentos de nossa história, isto não foi praticado, na integralidade. Mas o poder real (os meios de produção e a maioria das instituições) foi e ainda é mantido pelas elites.

Os “fantasmas do passado”, apontados pelo comercial do PT são reais e a volta ao passado – de completo, total e irrestrito poder das elites – é o que o PT e vanguarda da civilização (que é a esquerda) querem evitar.

Os partidos da direita arreganhada, da direita enrustida, da direita dissimulada, da direita envergonhada e os partidos a elas associados (por interesses que vão da canalhice à ignorância) pretendem, sim, uma volta ao passado. Eles todos não têm propostas capazes de superar as conquistas do povo no poder. Curiosamente, as ações do povo no poder beneficiaram também as elites. Acontece que o ódio de apartheid que as elites sentem pelo PT – e principalmente pelo seu maior líder, Luiz Inácio Lula da Silva- é de tal forma doentio que essas elites não aceitam um governo popular, ainda mais quando esse governo popular consegue engrandecer o país, como nunca as elites sequer pretenderam.

40 milhões de pessoas que foram levadas à classe média, 36 milhões de pessoas que saíram da pobreza extrema, 14 milhões de empregos criados, com carteira assinada, salário mínimo elevado dos 80 dólares (mantidos pelos representantes das elites) para mais de 350 dólares, dezenas de universidades federais criadas, facilitação do acesso dos pobres à universidade, pelo Enem, Pro-Uni e Fies, progresso expressivo na infraestrutura do país (portos, aeroportos, ferrovias, rodovias, etc) redução da mortalidade infantil, aumento da expectativa de vida, a estabilidade econômica que levou o Brasil a ser a 7ª economia mundial, entre tantas outras conquistas do governo do PT, tudo isso leva a direita ao desespero. Especialmente o PSDB, que nada tem de social- democracia; é apenas a reedição da velha UDN: o PSDB de hoje é somente uma UDN apoplética, que pretende, sim, repito, a volta ao passado.

O comercial do PT, que você pode ver na internet, está certo, muito certo e certíssimo. Tomara que leve as pessoas de boa-fé a tomar consciência da realidade e à decisão de proteger as conquistas do governo do povo no poder. O Brasil e o povo brasileiro têm todos os motivos para deixar os fantasmas do passado, no passado.