Páginas

quarta-feira, 21 de maio de 2014

MPF APURA COMO PREFEITURA EMPREGA
DINHEIRO DA UNIÃO NA SAÚDE EM TAUBATÉ

A representação que a vereadora Pollyana Gama protocolou sexta-feira (16/05) no Ministério Público Federal já deu o primeiro resultado prático: uma sindicância para apurar o emprego das verbas federais na saúde pública de Taubaté foi aberta nesta quarta-feira (21/05) pela instituição.

O gabinete da vereadora Pollyana Gama havia elaborado gráficos para demonstrar que, sob o prefeito (?!) Ortiz Junior, a área de saúde não emprega adequadamente as verbas recebidas do Ministério da Saúde para combater, por exemplo, a dengue, que já virou epidemia em Taubaté, com quase quatro mil casos registrados oficialmente.

O esforço dos vereadores Joffre Neto e João Vidal para esvaziar a comissão especial de inquérito instalada há uma semana pela Câmara Municipal foi inócuo. A “transparência” pregada pelo Catão da Vila São Geraldo só teve algum valor no (des)governo Roberto Peixoto.

O Ministério Público Federal, ao aceitar a representação da vereadora Pollyana Gama, terá acesso a todos os documentos referentes às verbas federais enviadas a Taubaté para a saúde pública. A parlamentar encaminhou com a representação documentos que detalham todos os dados divulgados pela Prefeitura sobre o emprego das verbas federais.

Com tantos detalhes em mãos, o Ministério Público Federal, em menos de quatro dias úteis decidiu abrir a sindicância e apurar os fatos relatados pela vereadora Pollyana Gama.

Abaixo, os gráfico que demonstram o desinvestimento determinado pelo prefeito Ortiz Junior (PSDB) na saúde pública municipal.

NESTE GRÁFICO, FICA DEMONSTRADO QUE NO PRIMEIRO BIMESTRE DESTE ANO (JANEIRO E FEVEREIRO), ORTIZ JUNIOR DEIXOU DE GASTAR 39% DA VERBA PARA COMBATER O MOSQUITO DA DENGUE
O GRÁFICO ABAIXO, REFERENTE A 2013, MOSTRA QUE ORTIZ JUNIOR  NÃO GASTOU COM A VIGILÂNCIA EM SAÚDE A VERBA DEIXADA PELO SEU ANTECESSOR. OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: PIORAMOS EM RELAÇÃO AO (DES)GOVERNO PEIXOTO.
AO INTERPRETAR ESTE GRÁFICO, NOTE QUE O GASTO COM VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIMINUIU EM RELAÇÃO AO ORÇAMENTO DA SAÚDE PÚBLICA MUNICIPAL: ELA FOI DE 4,72% EM 2012, SOB PEIXOTO, E ESTE ANO A VERBA É DE 4,57%
A VERBA CRESCEU, ASSIM COMO CRESCEU O ORÇAMENTO DA CIDADE. O QUE O PREFEITO EMBUSTEIRO NÃO EXPLICA É QUE, PROPORCIONALMENTE, ELE DIMINUIU OS GASTOS COM A VIGILÂNCIA EM SAÚDE
AQUI, A REPRESENTAÇÃO ACEITA INTEGRALMENTE PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, QUE PASSA A INVESTIGAR O (DES)EMPREGO DAS VERBAS FEDERAIS NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS EM TAUBATÉ.