Páginas

quarta-feira, 7 de maio de 2014

VEREADOR JOÃO VIDAL, "NÃO PRECISA
EXPLICAR, EU SÓ QUERIA ENTENDER!!!"

Sou defensor do Poder Legislativo enquanto instituição. Não aprovo a ingerência de outros poderes em questões meramente legislativas, como não concordo com a generalização das críticas feitas aos “políticos”, geralmente apontados como os únicos responsáveis pelos desacertos governamentais, quando a culpa é de todos nós, que não exercemos nosso direito de fiscalizar.

As críticas aos integrantes do Poder Legislativo, notadamente aos detentores de mandato popular, se justificam por si só quando se detecta falha de caráter nas ações políticas de seus membros. Estas críticas, porém, não podem ter intensidade igual para o corpo de vereadores. Elas devem ser feitas individualmente, sobre as ações de cada parlamentar.

O preâmbulo se faz necessário diante das informações recebidas por este blog sobre a falha de caráter do vereador João Vidal (PSB), que tem entre seus assessores o diretor da ONG Opção Brasil, Daniel Vaz Freire, desde 12 de fevereiro deste ano, com o salário de R$ 4.233,17.
Portaria de nomeação de Daniel Vaz Freire

A ONG tem sede em São Caetano do Sul, na Rua Santa Rosa, 96, telefone (11) 2759-0390. Presume-se, portanto, que Daniel Vaz Freire não possa cumprir a contento seu cargo de assistente de gabinete do vereador João Vidal (PSB), pois reside no ABC paulista, onde tem compromisso com sua ONG.

Com menos de três meses de “trabalho” na Câmara Municipal de Taubaté, Daniel Vaz Freire passou uma curta temporada no Peru, onde visitou a antiga cidade inca de Matchu Pitchu (ver fotos abaixo).

A ONG do assessor do vereador João Vidal foi condenada pelo Tribunal de Contas do Mato Grosso a devolver aos cofres públicos daquele estado “o valor correspondente a 2.167,11 UPFs/MT, no prazo de 60 dias (algo em torno de R$ 66 mil)”.

O TC julgou irregular o convênio 013/2005 firmado entre o Fundo Estadual de Segurança Pública de Mato Grosso e a ONG Opção Brasil, representada por Daniel Vaz Freitas, no processo 102245/2008. O acórdão é de 24 de abril de 2012.

O vereador João Vidal é o sucessor do ex-vereador Chico Saad na forma de agir. Saad se notabilizava por defender com unhas e dentes o ex-prefeito Roberto Peixoto. Com João Vidal não é diferente em relação a Ortiz Junior, o atual prefeito (?!).

Alguns lances do vereador João Vidal me intrigam. Não sinto sinceridade em seus atos. Tudo soa falso, premeditado, com um único objetivo: obter dividendos políticos.

Na procissão da Semana Santa de 2013 ele aparece com o prefeito (?!) Ortiz Junior carregando a cruz do Senhor Morto.

João Vidal, aparentando felicidade com a projeção de
sua imagem pública, carrega a cruz na procissão da
Semana Santa com o prefeito (?!) Ortiz Junior
 Antes, em 2012, foi o único vereador a se manifestar publicamente, nas redes sociais, a favor do reajuste (barrado pela Justiça) para os secretários municipais.

Este ano, enviou-me caudaloso manifesto/comentário em defesa de Padre Tequinho, a quem critiquei por sua manifestação política manipuladora a respeito das eleições gerais deste ano.

Há poucos dias, o vereador manifestou sua discordância com matéria publicada neste blog sobre a visita do presidenciável Eduardo Campos a Taubaté.

Se o vereador está pensando numa possível candidatura a deputado, terá que pedir licença à sua colega Graça, que também será candidata.

Pelo sim pelo não, João Vidal vai aparelhando seu gabinete, nomeando assessores de outras regiões do Estado para viabilizar seu nome numa possível campanha eleitoral, tudo pago com dinheiro público.

Parece-me que estamos diante de um novo catão. Este, da Vila das Graças.

Aqui, foto da viagem do assessor de João Vidal antes de completar três meses de "trabalho".


Atenção para o texto que acompanha a foto abaixo: o assessor de João Vidal reporta aos seus amigos que esteve em Taubaté um mês após sua nomeação.