Páginas

sábado, 7 de junho de 2014

VIDAL DEMITE ASSESSOR “FANTASMA”

O vereador João Vidal (PSB) demitiu Daniel Vaz Freire, nomeado em fevereiro deste ano, com um polpudo salário de R$ 4.233,17. Desde 1º de junho há uma vaga no gabinete do vereador.

Leia aqui como se deu a contratação de Daniel Vaz Freire, que Vidal foi buscar no ABC para trabalhar em sua possível campanha a deputado federal, se obtiver legenda na convenção que o partido, que um dia foi progressista, realizará em São Paulo

Sob o comando do deputado federal e presidente estadual do PSB, Márcio França, o partido decidiu apoiar a candidatura a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB), podendo ter o próprio França como candidato a vice-governador. Assim, o PSB queima de vez a pretensão de Marina Silva, vice do presidenciável Eduardo Campos, que queria candidatura própria do partido ao governo de São Paulo, sem aliança com os tucanos.

Abaixo, cópia do email que a direção do PSB encaminhou aos pré-candidatos a deputado estadual e federal do partido para a reunião (já realizada) de sexta-feira (06/06).

Boa tarde!

Prezado (a) pré-candidato (a),

Vimos por meio desta solicitar ENDEREÇO de correspondência para convocá-los (as) para reunião extraordinário do Diretório Estadual do PSB/SP a realizar-se em 06/06/2014 para tratarmos sobre eleições 2014.

Att,

Dora

PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO
Diretório Regional de São Paulo
Av. Indianópolis, 1.787
Planalto Paulista - São Paulo – SP
04063-003
Telefones:(11) 2276-2376 / 2276-2989

A possível aliança do megalômano vereador João Vidal com Caio França, filho de Márcio França e candidato a deputado estadual, naufraga antes de ser formalizada.

O cabo eleitoral trazido do ABC por João Vidal é ligado a Márcio França, que tem interesse na candidatura do vereador taubateano não para ajudá-lo a se eleger, mas para obter votos para seu filho, Luís França, pré-candidato a deputado estadual.

A aliança PSDB-PSB para o governo de São Paulo significa o sepultamento da pré-candidatura a deputado federal de João Vidal.

Os tucanos taubateanos não permitirão que um “aliado” concorra diretamente com Diego Ortiz a uma vaga na Câmara Federal.

Vidal é só um amador no campo político. Manipular jovens católicos não é suficiente para sustentar uma candidatura deputado federal e concorrer com o irmão do chefe Ortiz Junior.