Páginas

domingo, 27 de julho de 2014

BAY BAY, JUNINHO!

Silvio Prado, professor

Mesmo que os deuses da política não queiram, na terça feira Ortiz Jr deverá receber da justiça o tão esperando pontapé no seu bem cuidado traseiro tucano. Se a justiça decidir que o filhote de Bernardo desocupe o trono do Palácio Bom Conselho, a cidade vai dar saltos de alegria e felicidade.

Tem gente comprando dúzias de rojão para comemorar o fato, inédito em nossa história política. Em alguns lugares da cidade, muitos vão tomar uma gelada para comemorar devidamente o acontecimento. Outros querem fazer até carreata. Pelo céu, enquanto estouram fogos, também poderão ser vistas dúzias de penas de tucano flutuando sem rumo certo, resultado do magnífico e providencial pé na bunda tomado pelo agora prefeito. Quem passar pelas imediações do sitio do Bonfim, deverá ouvir, misturado com choros e insuportável ranger de dentes, o som terrível de qualquer marcha fúnebre.

Alguns precipitados, sem conhecimento das tramas e tramoias que compõem os desenredos da justiça, já falam em repeteco do show que não faz tempo a PF deu na casa do ex-prefeito Peixoto, levando-o, junto com dona Lu, para uns três dias de descanso numa pensão federal, em São José dos Campos. Besteira ficar apostando que Jr, tão já, vá fazer o mesmo passeio e depois curtir descanso em idêntica pensão.

Importante agora é refletir o significado da impedimento do prefeito e as consequências dele no destino da cidade. Uma coisa é certa: consumada a cassação, vira-se uma página da história local. Taubaté, por mais conservadora que seja, não será a mesma e terá que se repensar fora do desgastado modelo de administração aqui implantado a partir de 1982, ano da primeira vitória conquistada pela família Ortiz.

Com a saída dos Ortizes do cenário, abre-se uma possibilidade imensa para a renovação da vida política local. Com ele, praticamente também acabarão moralmente cassados seus apoiadores, como Mario Ortiz e padre Afonso Lobato. A sentença da justiça vai respingar consequências sobre seus principais defensores na câmara, como a vereadora Graça, Jofre Neto, Digão e o lambe botas oficial do prefeito, João Vidal.

É sempre bom ter diante dos olhos o exemplo de autoridades punidas pela justiça, mesmo que, se pudesse, a justiça faria tudo para não puni-los. E por que puniu? Ora, como não punir desonestidades tão declaradas e improbidades tão flagrantes? Como não punir se meia dúzia de pessoas, mesmo sendo uma quantidade tão mínima, fez o barulho necessário e constante para evitar que tudo terminasse em pizza ou na mesa farta de alguma cantina chique da região?

Diante da barulheira feita pelo Blog do Irani, até os pombos da praça sabiam das improbidades de Jr, quanto mais a justiça. Sob a saraivada de acusações que, semanalmente, Chico Oiring despejava em seu programa na Tevê Cidade, quem poderia ficar indiferente? Se a justiça resistiu até aqui, mesmo diante de tantas evidencias, foi devido a não se sabe quantas pressões contrárias (ocultas ou não) saíram em sua defesa.

Afinal, não podemos esquecer: Jr é um quadro do PSDB, o mesmo partido que fez secar a Cantareira, mas a imprensa não diz nada. É o mesmo partido do Trensalão, e a imprensa não diz nada. É o mesmo partido do governador que mandou massacrar oito mil pessoas o Pinheirinho, que na Assembleia Legislativa abafou mais de 60 CPIs, que torra milhões de reais comprando(sem licitação e em troca de blindagem midiática), produtos da Veja, Folha, Estadão, Globo, Época...

Enfim, é o partido de um governador que, dependendo do avanço das investigações contra Jr, poderia acabar sendo atingido. Jr e Alckmin integram um partido que, todo mundo sabe, é visto com simpatia por setores importantes do judiciário, esse mesmo judiciário que, no estado, tem pelo menos 40% de seus membros, direta ou indiretamente, ligados ao poderoso grupo religioso católico ultraconservador Opus Dei, inimigo das questões populares e defensor ferrenho da elitização na política.

Portanto, confirmada a cassação de Ortiz Jr , na terça feira, não será pequena a vitória que setores populares e de oposição taubateanos conquistaram contra o que de pior existe no conservadorismo brasileiro, acentuadamente marcado por incessantes práticas de corrupção. De fato, se acontecer, tem de ser festejado. E muito.