Páginas

quarta-feira, 2 de julho de 2014

HINO NACIONAL BRASILEIRO:
UMA CURIOSIDADE

Camões Filho, jornalista, cronista e pedagogo

O Hino Nacional brasileiro é sem dúvida um dos mais bonitos do mundo. Não há quem não se emocione ao ouvi-lo. Agora, nos jogos de nossa Seleção na Copa do Mundo, o público cantando o Hino à capela é emocionante e uma verdadeira lição de amor à pátria. Pena que ele deixou de ser cantado nas escolas, com o fim de certos conteúdos pedagógicos, como educação moral e cívica.

Curioso que desde 22 de setembro de 2009, o Hino Nacional Brasileiro tornou-se obrigatório em escolas públicas e particulares do ensino fundamental e médio de todo o país. Ao menos uma vez por semana, todos os alunos do ensino fundamental deveriam cantá-lo. Uma boa notícia, mas que infelizmente não mereceu a devida divulgação na mídia. Assim, essa é daquelas leis que não pegaram.

Pergunte ao seu filho, que está no ensino médio ou fundamental, se ele teve que cantar o nosso Hino toda semana. Aposte que ele irá dizer que não.

O nosso belo Hino Nacional Brasileiro tem letra de Joaquim Osório Duque Estrada e música de Francisco Manuel da Silva. Foi oficializado pela lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971, publicada no Diário Oficial (suplemento) de 2 de setembro de 1971.

Mas agora, uma curiosidade: você sabia que aquela introdução do nosso Hino já teve uma letra própria?

Pois é, a parte instrumental da introdução do Hino Nacional Brasileiro possuía uma letra, que acabou excluída da sua versão oficial. Essa letra é atribuída a Américo de Moura, natural de Pindamonhangaba, presidente nos anos de 1879 e 1880 da província do Rio de Janeiro, equivalente hoje ao cargo de governador.

Esses os versos até então desconhecidos do nosso Hino: 

Espera o Brasil
Que todos cumprais
Com o vosso dever.
Eia avante, brasileiros,
Sempre avante!

Gravai com buril
Nos pátrios anais
Do vosso poder.
Eia avante, brasileiros,
Sempre avante!

Servi o Brasil
Sem esmorecer,
Com ânimo audaz
Cumpri o dever,
Na guerra e na paz,
À sombra da lei,
À brisa gentil
O lábaro erguei
Do belo Brasil.
Eia sus, oh sus!

Logo após essa introdução, o Hino tinha início, como o conhecemos, com seus versos imortais... “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas...”

E você, estudante do ensino médio e fundamental, qual foi a última vez que você cantou o Hino Nacional? Na sua escola ou pela televisão, assistindo aos jogos de nossa Seleção?