Páginas

quinta-feira, 24 de julho de 2014

ORTIZ JR RESPIRA POR APARELHOS

A última válvula que mantém Ortiz Junior respirando no Palácio do Bom Conselho deve ser fechada na próxima terça-feira (29/07), se não houver novo adiamento da sessão de julgamento do recurso eleitoral do tucano.

Por meio de manobras jurídicas, Ortiz Junior tenta evitar o inevitável. Por isso “troca” de advogado dois dias antes do julgamento de seu recurso para poder respirar enquanto a válvula que o mantém vivo está aberta.

Ortiz Jr exibe diploma de prefeito eleito, que será rasgado pelo TRE
No jargão jurídico, trata-se de chicana.

O Grande Dicionário Sacconi ensina que chicana é um ”abuso de direito, que consiste em um advogado utilizar meios cavilosos, mediante inúmeros recursos e formalidades, com o propósito de tumultuar, confundir, protelar ou criar embaraços ao andamento normal de um processo”.

A protelação do julgamento aceita pelo juiz-relator, Roberto Maia Filho, nos deixa uma certeza: o tucano jamais poderá alegar que teve seu direito à ampla defesa cerceada pela justiça.

O jus sperniandi que, ao contrário do que parece, não é uma expressão latina, protagonizado pelo tucano, é típico de quem caminha inexoravelmente para forca.

Ortiz Junior, com muito dinheiro, apesar de estar com seus bens bloqueados pela Justiça Pública, “consegue” trocar de advogado às vésperas de seu julgamento como se troca de camisa após o banho.

Ortiz Junior não será imolado!

Ele assumiu o risco de ser denunciado por abuso de poder político e econômico quando fez, em 2012, a mais milionária campanha para prefeito jamais vista na história política de Taubaté.

A chicana tucana começou dois dias antes, quando foi juntado ao processo 58738, às 18h41, o documento 79.150/2014 (procuração para novo advogado, vista do processo e adiamento do julgamento).

Logo em seguida, às 18h43, foi protocolado o documento 81.187/2014, com pedido de adiamento do julgamento, com despacho do relator.

Dois minutos mais tarde, às 18h45, a coordenadoria das sessões do TRE juntava o documento 81.561/2014 ao processo, com “manifestação de concordância de adiamento do julgamento” pelo juiz-relator Roberto Maia Filho.

Na tarde desta quarta-feira (23/07), às 13h58, a coordenadoria de autuação e distribuição de processos do TRE emitiu “certidão de revisão da autuação para incluir advogado”.

Às 14h38,a mesma coordenadoria encaminhou os novos documentos para a coordenadoria da sessões, que os recebeu às 15h08, 24 horas antes de a forca ser acionada juridicamente pelo TRE.

Oficialmente, o TRE não anuncia a data do novo julgamento, cuja informação deve ter sido vazada pela parte interessada.

Não há Ibama que dê jeito na situação deste tucano!