Páginas

quarta-feira, 2 de julho de 2014

PELO FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL

Luiz Flávio Gomes, jurista

(Diretor-presidente do instituto Avança Brasil)
Os políticos profissionais estão matando a democracia

Professor Luiz Flávio Gomes
Meus amigos: estamos lançando a campanha "fim do político profissional". Contamos com sua participação (suas opiniões e seus compartilhamentos). Os políticos (com as ressalvas necessárias) estão corroendo as bases da sociedade democrática (no mundo todo). Os políticos corruptos estão matando as esperanças (sobretudo dos jovens) num futuro melhor. Não nascemos dessa maneira e não temos que morrer vendo as mesmas coisas o tempo todo. A política (quando mal feita) "é a segunda atividade pública mais velha do mundo e a que mais se parece com a primeira". Metade dos políticos está sendo investigada ou processada no STF por crimes diversos. Recordo John Stuart Mill (1806-1873) que dizia: "Todos os grandes movimentos, inevitavelmente, conhecem três fases: o ridículo, o debate e a aceitação". Nossa campanha pelo fim do político profissional pode parecer, a muitos, ridícula. Vamos para o debate, até que um dia esse sonho se torne realidade. O economista Schumpeter afirmava que "Os políticos [muitas vezes, em razão do comprometimento com os agentes econômicos e financeiros] constituem uma duvidosa espécie de mamíferos". Um dos antídotos contra a corrupção na política reside na proibição do político profissional. Essa é a tese que queremos discutir aqui neste espaço democrático, com o intuito de aprimorar e (re)dignificar o exercício dessa atividade republicana. Avante!