Páginas

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

CATÃO DA VILA SÃO GERALDO, A
CADA DIA MAIS DESNECESSÁRIO

Não sei se devo levar a sério a última pérola do Catão da Vila São Geraldo ou se gargalho diante do mais recente besteirol proferido pelo vereador cada vez mais desnecessário.

A última peça humorística da lavra de Joffre Neto é uma suposta conversa que teria mantido com o prefeito (?!) Ortiz Junior após a suspensão do julgamento do recurso eleitoral do tucano pela corte eleitoral paulista.

Embusteiro, Joffre Neto saracoteia sobre a verdade
Ao ler a postagem de Joffre Neto, feita às 20:35 do último dia 31 de julho, fiquei pensando se ele nos trata como idiotas porque somos idiotas ou acredita que somos verdadeiramente idiotas.

Pregoeiro da mentira e do falso moralismo, o Catão da Vila São Geraldo não tem pejo de escamotear a verdade para atingir seus objetivos infames e se tornar o principal sabujo do prefeito que está com os dias contados no Palácio do Bom Conselho.

Vejamos:

1. O vereador desnecessário afirma que são sete juízes no TRE, mas apenas dois votaram contra e dois pediram vistas do processo. O correto seria informar que o sétimo juiz, o presidente do TRE, só vota em caso de empate. Faltam, portanto, quatro votos e não cinco como “desinforma” o Catão da Vila São Geraldo. Portanto, a cassação de Ortiz Junior está a apenas dois votos de distância.

2. Joffre Neto escamoteia a verdade. Fala sem saber do que está falando. Os juízes Alberto Toron e Costa Wagner pediram vistas do processo porque, na noite anterior, praticamente ao encerramento do expediente do TRE, os advogados de Ortiz Junior anexaram novos documentos ao processo com o intuito de atrasar o julgamento. A isto se chama “chicana”.

Postagem de Joffre Neto para escamotear a verdade sobre Ortiz Jr
3. Não há a menor possibilidade de se abrir “nova oportunidade para que Jr. possa esclarecer os fatos”, como afirma e deseja o Catão da Vila São Geraldo diante do pedido de vistas ao processo. O relator já distribuiu seu voto aos demais juízes. O julgamento foi suspendo por mera formalidade jurídica. Os juízes Alberto Toron e Costa Wagner mais auxiliaram do que prejudicaram a conclusão do julgamento.

4. O Catão da Vila São Geraldo escamoteia quando afirma que “não há prazo para que os juízes que pediram vistas devolvam o processo para julgamento”. O art. 63 do RI do TRE diz exatamente o contrário. Há prazo sim: cinco dias para cada juiz, 10 dias no total. No próximo domingo, 10 de agosto, termina o prazo das vistas, o que significa que o julgamento continuará normalmente nos dez dias seguintes.

5. Por que a ênfase na frase “Júnior não é bandido”?

6. Ah! Sim. O Catão da Vila São Geraldo se julga o último homem honesto na face da terra. Por que não explica a maracutaia que perpetrou na Câmara Municipal de São Luiz do Paraitinga para auferir ganhos quando estava desempregado? Ou explique porque vai se sentar no banco dos réus da Vara da Fazenda Pública de Taubaté no próximo dia 13, dentro de uma semana, portanto. Onde está sua honestidade, que eu não acho Catão!

7. Um homem honesto, segundo o Grande Dicionário Sacconi, “é incapaz de contrariar os princípios da honra, da decência, da ética e da justiça” e é “incapaz de enganar ou cometer fraudes de qualquer natureza”.

8. Nem você nem Ortiz Junior se enquadram na descrição acima.

Quá quá quá quá!...

Leia o art. 63 do RI do TRE publicado abaixo e, quando escrever novamente sobre a seu provável ex-prefeito, filho de seu chefe e senhor, fale a verdade. Não escamoteie. Não queira vender, como um mascate barato, um produto chamado honestidade, que esta mercadoria você não tem.