Páginas

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

SALVADOR SOARES É PETISTA-TUCANO

O vereador Salvador Soares (PT) me dá razão. É um tucano travestido de petista que se elegeu graças ao apoio de Henrique Nunes, ex-vereador do PV.

Salvador Soares ficou todo nervoso quando, em 6 de fevereiro deste ano, publiquei matéria sobre a investigação sigilosa que a Polícia Federal está fazendo sobre as atividades do prefeito Ortiz Junior. (Clique aqui para ler a matéria sobre a investigação sigilosa encetada pela Polícia Federal)

Por telefone, o petista disse que meu texto parecia um roteiro de cinema, porque liguei seu nome ao do ex-vereador Henrique Nunes que, por sua vez, é cunhado de Ralph Nunes Ferreira Leite, secretário de Meio Ambiente da Prefeitura. (Clique aqui para ler o diálogo áspero que mantive com Salvador Soares na época dos fatos).

O pai de Ralph, Nelson Ferreira Leite, alugou a casa que serviu de estúdio para as gravações do programa eleitoral gratuito de Ortiz Junior. O custo girou em torno de R$ 60 mil. O “aluguel” foi bancado pelo professor Wanderlan de Carvalho Ramos Filho, atualmente diretor da área de museus da Prefeitura.

Este enredo não foi preparado por mim. Ele foi montado pelos personagens envolvidos nos subterrâneos da campanha eleitoral de 2012, que teve como astro principal o prefeito eleito Ortiz Junior, em vias de perder seu mandato na justiça eleitoral.

“TUCANAGEM”

A Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal distribuiu “release” na manhã desta segunda-feira (11/08) para informar que o vereador Salvador Soares (PT) é contra a cassação de Ortiz Junior.

A posição “tucana do petista” de Salvador Soares é um tapa na cara nos cidadãos desta urbe quase quatrocentona.

Afirmar que Ortiz Junior foi eleito com 99 mil votos não é motivo suficiente para aceitar sua eleição passivamente, como um bovino na invernada, à espera de ser levado para o matadouro.

A posição adotada pelo vereador tucano-petista é uma ducha de água fria nos funcionários municipais que acreditaram na sinceridade de Salvador Soares quando ele saiu em defesa da categoria, que deverá passar mais um ano sem reajuste salarial.

O discurso tucano-petista de Salvador Soares equivale a um estelionato eleitoral, com pitadas de PV e só comprova que o vereador pensa com a cabeça de seu tutor político Henrique Nunes.

AQUI, O "REALEASE" DA CÂMARA MUNICIPAL

O vereador Salvador Soares (PT) falou sobre o processo de cassação do mandato do prefeito Ortiz Junior (PSDB) e do vice-prefeito Edson de Oliveira (PTB). Para ele, a questão deveria ter sido resolvida antes mesmo da posse, em janeiro de 2013.

Ele deixou clara a continuidade das críticas que têm feito ao prefeito, mas ressaltou que Ortiz Junior teve 99 mil votos e foi diplomado pela Justiça Eleitoral para comandar a cidade. “A cassação dele é eleitoral, não passa pela Câmara Municipal, e de alguma forma ele foi eleito pelo povo para administrar a cidade.” (quá quá quá quá... grifo meu)

Para o vereador, o seu trabalho é fiscalizar e ajudar a administrar a cidade, por isso se torna contrário à cassação do mandato do Executivo, pois uma possível saída de Ortiz Junior iria conturbar a administração taubateana. “A pessoa (prefeito substituto) que for entrar não vai poder abrir uma gaveta, assinar um papel. Eu tenho que falar pelos 300 mil taubateanos petistas ou não. Se depender do vereador para cassar o prefeito, serei o primeiro a defender, e é com essa tranquilidade que venho aqui para confirmar o meu compromisso.” (de novo... quá quá quá quá...grifo meu)

Salvador lembrou que, durante o processo da celebração da PPP (Parceria Público-Privada) para a gestão do serviço de limpeza, foi contrário ao projeto de quase R$ 2 bilhões e recebeu uma “chuva” de críticas devido a sua postura. Ressaltou, porém, que logo em seguida às suas críticas, o Tribunal de Justiça suspendeu a parceria porque daria problema ao município. “Antes de pensar no partido, estou pensando na cidade e estou aqui para fiscalizar o prefeito e não para cassar.” (novamente... quá quá quá quá... grifo meu).

O vereador avaliou que o mínimo de trabalho está sendo feito pelo prefeito para melhorar algumas necessidades da cidade. “Concluímos o relatório da enchente e tenho que reconhecer que o mínimo de trabalho está sendo feito. Algumas obras estão em andamento. Eu não posso ser duas caras e ser covarde contra o prefeito. As pessoas irão ao Parque Três Marias e verão o super Pamo (Posto de Atendimento Médico e Odontológico) e a creche saindo. Dessa forma fico preocupado com a cidade e essa possível cassação do prefeito.” (assim não dá... quá quá quá quá... grifo meu).

PERGUNTAS

1. De onde o vereador petista-tucano ou tucano-petista tirou a ideia que fala em nome de 300 mil taubateanos, petistas ou não?

2. Por que o PT de Taubaté não se manifesta oficialmente sobre o processo de cassação do prefeito Ortiz Junior?

3. Estamos em meio a uma guerra política, vencida de forma ilícita pelo tucano conforme demonstrou a juíza eleitoral Sueli Zeraik e corroborou o juiz-relator Roberto Maia Filho em seu voto no último dia 31 de julho, no TRE. Medo de quê?

4. A posição do vereador Salvador Soares é isolada ou representa o pensamento do PT de Taubaté? Salvador Khuriyeh, Isaac do Carmo e Vera Saba permanecerão em silêncio?

5. Haverá punição? Haverá retratação? Ficará tudo por isso mesmo?

6. O PT fará como Pilatos e lavará as mãos?

7. Estamos cuidando de moralidade eleitoral sob o ponto de vista filosófico ou simplesmente de matemática, sobre número de votos obtidos nas urnas de forma ilícita ou não?

8. Que PT é esse