Páginas

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A LINHA QUE SEPARA O BEM E O MAL
NO USO DO CARTÃO DE CRÉDITO

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

Risco do cartão de crédito: forma de pagamento que lidera o ranking das principais dívidas dos consumidores.

Os dados são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Só em março deste ano, os cartões totalizaram 75 por cento das dívidas. Redução de 1 por cento em relação ao ano passado, mas, mesmo assim, um índice muito alto.

Afinal, o cartão de crédito não precisa ser um vilão. Pode ser aliado das finanças da família. Ferramenta segura de compra, que pode trazer vantagens, se bem utilizada, como milhagens e alguns dias para pagar uma compra. Especialistas orientam a não contratar limite que ultrapasse a 50 por cento do salário ou ganho mensal.

Em primeiro lugar, nunca empreste o cartão de crédito à outra pessoa. Boa forma de utilizar o cartão é saber aproveitar os benefícios que a forma de pagamento pode oferecer. Você deve evitar a opção pelo pagamento da parcela mínima, por conta das altas taxas de juros cobradas, que acabam levando à inadimplência. Caso não consiga pagar a parcela total, procure outra linha de crédito que não ultrapasse 2 e meio por cento ao mês.

Busque cartões que não cobrem anuidade. Hoje, é possível encontrar bandeiras que não cobram nenhuma taxa de manutenção.

Agindo assim, o Cartão pode até organizar sua lista de pagamentos, e você certamente será mais feliz.

Falei e disse!