Páginas

terça-feira, 16 de setembro de 2014

ORTIZ JR, À BEIRA DO PRECIPÍCIO

O agonizante prefeito (?!) desta urbe quase quatrocentona está, literalmente, à beira do precipício político desde que abusou, política e economicamente, segundo denúncia do MPE, nas eleições municipais de 2012, para vencer a corrida rumo ao Palácio do Bom Conselho.

O tucano Ortiz Junior está a quatro votos de sua cassação pelo TRE. O juiz Roberto Maia Filho, relator do recurso eleitoral 58.738, votou pela cassação de Ortiz Junior e de Edson Aparecido de Oliveira, prefeito e vice-prefeito, respectivamente, e pela inelegibilidade do ex-prefeito e pai do atual prefeito, José Bernardo Ortiz. A juíza Diva Malerbi acompanhou o voto do relator.

Ortiz Jr, a quatro votos de perder o diploma de prefeito
O resultado do julgamento do recurso eleitoral, no dia 31 de julho, era ansiosamente aguardado na cidade. Houve certa frustração quando o juiz Alberto Zacharias Toron, que seria o terceiro a votar, pediu vistas ao processo, suspendendo o julgamento. Do recurso de Ortiz Junior.

Na sexta-feira (12/09), o juiz Alberto Zacharias Toron devolveu o processo à Coordenadoria das Sessões do TRE juntamente com seu voto, nº 811, após 44 dias. O pedido de vistas se justificava porque o magistrado, que ocupa do cargo desde 16 de abril deste ano desconhecia o processo, que está no TRE desde 29 de agosto do ano passado.

O juiz Costa Wagner recebeu o processo na tarde desta segunda-feira (15/07), para vista. A um interlocutor deste blog, o magistrado disse que conhece o recurso tucano e o devolveria rapidamente. Na prática, o juiz Costa Wagner vai conhecer as 15 laudas do documento protocolado pela defesa de Ortiz Junior na véspera do julgamento do recurso eleitoral.

Abaixo, para recordar, os últimos minutos da exposição oral do juiz-relator Roberto Maia Filho acerca de seu voto, que condena Ortiz Junior, Edson Aparecido de Oliveira e Bernardo Ortiz