Páginas

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

AÉCIO, BONITINHO, MAS MUITO ORDINÁRIO

Silvio Prado, professdor*

Machão e espancador de mulher, suspeito de ser viciado em cocaína, rei das noitadas cariocas e detido pela polícia em “situação lamentável” onde perdeu sete pontos por dirigir com a carteira vencida e mais sete por se recusar a passar pelo teste do bafômetro. Esses são alguns dos “grandes momentos” do candidato Aécio Neves que nenhuma Rede Globo mostrou nem vai mostrar.

Nem Rede Globo, Bandeirantes, SBT ou Record, ou mesmo a nojenta Jovem Pan tem disposição de mostrar o verdadeiro Aécio, que aos 17 anos virou assessor de um deputado, mas nunca apareceu em Brasília para trabalhar. Depois, passou um tempão enrolando num importante cargo da Caixa Econômica Federal, até que se elegeu deputado. Daí, para o governo de Minas foi um salto. Durante oito anos, Aécio “terceirizou” seu governo para a irmã Andréa. Em Minas, ela decidia tudo, enquanto o irmão, baladeiro incorrigível, dividia renda e espermas em boates e inferninhos da zona sul carioca.

Porém, quando aparecia em Minas, Aécio sempre achava tempo para arrebentar com a escola pública mineira, pagando pouco mais que o salário mínimo para o professor e deixando pelo menos um milhão de jovens fora do ensino médio. Um caos!

Nunca esquecendo sua tradicional família, desapropriou terras de um tio e nelas construiu uma pista de pouso. Na pista, que não tem mais de 1 quilometro, Aécio torrou 14 milhões de reais dos cofres públicos de Minas. Seu tio, Múcio Tolentino, sentindo-se prejudicado, agora pede ao Estado uma indenização de quase 20 milhões de reais. Outro aeroporto Aécio construiu nas imediações das terras que possui em Montezuma. Sem utilidade nenhuma, o aeroporto virou local de caminhadas para a população. A cidade de apenas sete mil habitantes não tem hospital, mas tem aeroporto... sem avião! Negócios de família, claro.

Se a imprensa fosse isenta e mostrasse como Aécio de fato é, dificilmente ele estaria na corrida presidencial. Como é que fica a Lei Maria da Penha se o Brasil vier a ter um presidente que, em público, surrou a namorada, fato relatado exemplarmente pelo jornalista Juca Kfouri? Não é crime dirigir embriagado? Não é crime dirigir com a carteira vencida? Não é crime usar dinheiro público em negócios particulares? Não é crime (nepotismo) empregar parentes no governo? Se não é crime, pelo menos não é algo suspeito ser amigo intimo e ter negócios com Zezé Perrela, presidente do Cruzeiro, e dono de um helicóptero apreendido com 450 quilos de pasta de cocaína, que um pouco antes tinha pousado para abastecimento bem perto do famoso aeroporto construído nas terras do tio? Se existe lei para meter na cadeia quem roubou um pacote de fubá, porque as leis brasileiras não enquadram Aécio Neves, um dos mais desprezíveis pilantras da política nacional?

Por tudo isso e muito mais, Aécio Neves deveria estar na cadeia (isso mesmo, na cadeia!) e não por ai pedindo seu voto para presidente da república. Pelo menos é o que eu penso!

Se quiser saber muito mais sobre esse pilantra que precisa do seu voto para se eleger presidente, acesse os seguintes blogs: VIOMUNDO, ALTAMIRO BORGES, DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO, VALE PENSAR, BLOG DO IRANI LIMA, BLOG DO LUIS NACIF, enfim, não faltam fontes para conhecer melhor essa mercadoria podre que os meios de comunicação tentam vender como solução para os problemas nacionais.

*Professor da Rede Estadual de Ensino