Páginas

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

AÉCIO, TODO DIA UMA NOVA REVELAÇÃO

Silvio Prado, professor

Qual outra revelação bisonha (e também perigosa) ainda pode oferecer Aécio Neves? No debate da Tevê Record, a presidente Dilma denunciou para todo o pais que no governo de Minas, em sua prestação de contas no ano de 2004, o então governador Aécio usou dinheiro da saúde comprando vacinas para cavalos.

Aécio procura aeroporto particular para pousar seu avião
Antes, bem antes, o pais inteiro já sabia que o mesmo governador estapeara, em público, uma sua namorada. A grande imprensa fez silêncio diante o fato, mas o jornalista Juca Kfouri relatou-o em seu blog. Houve gente de sobra testemunhando o “carinho excessivo” do politico. Portanto, nenhuma ameaça ao jornalista.

Quando a presidente Dilma falou sobre vacinas para cavalo com verbas da saúde, até os fanáticos eleitores aecianos já sabiam de sua carteira apreendida pela policia do Rio e também de sua fuga do bafômetro. Já sabiam que ele, com apenas dezessete anos, nomeado pelo pai deputado assessor em Brasilia, morava e estudava no Rio de Janeiro. Portanto, trabalhar mesmo que é bom, neca! (sem trocadilho com a Neca, dona do Itaú - grifo do blog).

Enfim, no correr da campanha o Aécio real foi aparecendo: dinheiro dos cofres públicos de Minas em sua rádio Arco Iris ou nas terras de parentes para construir um aeroporto. Depois, o mais assombroso caso: sua ligação com Zezé Perrela, dono de um helicóptero apreendido com 450 quilos de pasta de cocaína no Espirito Santo e a comprovação de que Aécio, no governo, investiu em empresas dessa suspeitíssima figura.

Como se não bastassem tantos atos comprometedores de sua imagem, na terça-feira, no blog Viomundo, de Carlos Azenha, o jornalista Rodrigo Lopes informou que Aécio, mesmo não tendo formação policial, usou durante anos uma carteira da polícia mineira. Em outras palavras: ele usou o poder, que só pode ser conferido a um policial devidamente formado, e saiu por ai usufruindo das vantagens, legais ou ilegais, que tal cargo oferece.

Certamente, muita gente pergunta: quantos rolos, fraudes, mutretas, maracutaias e crimes diversos compõem a figura pública chamada Aécio Neves. Ninguém sabe com precisão.

Com novas e surpreendentes revelações quase diárias, não há duvida que o candidato do PSDB está afrontando o ex-presidente Collor de Mello. No quesito pau de galinheiro, o mineiro, se já não ultrapassou o alagoano, está pelo menos empatado. Como temos ainda mais quatro dias de campanha, Collor corre o sério risco de ser de fato ultrapassado e vê-lo disparar numa velocidade surpreendente.

Se a grande mídia não fosse parceira da corrupção, sempre ocultando fatos inquestionáveis da vida de pessoas como Aécio, o pais seria outro e o credito da política seria muito maior.