Páginas

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

BLOG DO CATALDI*



O DIA NA HISTÓRIA

SEXTA-FEIRA,10 de outubro. Faltam 82 dias para o fim do ano. Aniversário do ator Miguel Falabela (1956). Morriam: Delmiro Gouveia – pioneiro da fábrica da Pedra, em Alagoas (1917); o Presidente da UNE eleito na clandestinidade Honestino Guimarães, por desaparecimento (1973); O cineasta Orson Welles (1985) e João Jorge Saad, fundador da Rede Bandeirantes (1999). A censura brasileira era condenada no Chile pela Associação Interamericana de Imprensa (1972). O Deputado Chico Pinto do PMDB baiano era preso por 6 meses, com base na famigerada lei de segurança nacional por fazer discurso considerado “ofensivo” ao ditador Chileno Augusto Pinochet (1980).

SÁBADO, 11 de outubro. Dia nacional do Deficiente Físico. Lançamento da primeira revista brasileira destinada à criança: O Tico Tico (1905). Nascia o homem que descobriu que “As Rosas Não Falam”; Angenor de Oliveira – o Cartola (1908). É aniversário de cantor e compositor Tom Zé. Data da criação do Museu Histórico Nacional (1922) e da primeira apresentação da Orquestra Sinfônica Nacional (1940). Morte da cantora francesa Edith Piaf (1963); do Padre Burnier, da missão de São Félix do Araguaia, com a destruição da cadeia em que ficou o PM assassino (1976) e de Renato Manfredini Junior – O Renato Russo da Legião Urbana (1996). Data da criação do Estado do Mato Grosso do Sul (1977).

DOMINGO, 12 de outubro. Dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Dia da Criança, do Corretor de Seguros, do Engenheiro Agrônomo, Dia do Mar e da Hispanidade, por causa do descobrimento da América (1492). É aniversário do meu irmão querido, cantor e compositor Luiz Vieira (1928). Seria aniversário de Luciano Pavarotti (1935). Cassação do deputado Márcio Moreira Alves (1968). Morte da atriz Glauce Rocha (1971), e, do Ministro da ditadura que pediu a abertura do regime militar Severo Gomes e de Ulisses Guimarães, num acidente de helicóptero (1992).

PRO VALE

SEGUNDO TURNO, NOVA ELEIÇÃO - O segundo turno da sucessão presidencial começa do zero, e, curiosamente, em São Paulo. Aqui o PT sofreu sua maior derrota. Perdeu 6 deputados federais e a vaga de Eduardo Suplicy, até então vista como cativa no Senado... O PSDB, além de eleger bancada expressiva de deputados, garantiu a senatoria para José Serra-Serrador.

EM BUSCA DE ARREGOS - O secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, correu desesperado atrás do presidente do PSB, Roberto Amaral, logo após a contagem dos votos. Buscava a bênção e os votos de Marina para Dilma. Tarefa árdua porque a raiva da seringueira com a turma que obstruiu o registro da Rede de Sustentabilidade era maior do que a revanche pela implicância de Aécio, dedicada a ela nos últimos dias de Rádio e TV no 1º turno.

E AGORA DILMA? – Restou à president(a) correr atrás dos miseráveis das bolsas e encher a cabeça do eleitor de fantasmas quanto a cortes de benefícios sociais e volta da política de arrocho salarial, jogando tudo isso na conta dos tucanos. Mas não adianta fazer isso com a bolsa miséria de Pernambuco, único estado do nordeste em que a velha política levou ferro, além do Maranhão, onde a “sarneyzada” também levou um “taca-lhe pau”.

QUEDA DE BRAÇOS – O cenário é em meio à disputa nos escândalos da CPI da Petrobrás e a onda de delações premiadas. Vazando, os documentos podem comprometer mais a candidatura de Dilma do que a de Aécio.

BOLSA DE APOSTAS – Agora que está seguro da renovação de seu contrato por mais 4 anos, vamos ver mais quantos dias o governador Geraldo Alckmin vai manter o reforço de policiamento que mandou para Pinda, Tremembé e Taubaté onde mora a maior população carcerária do Estado de São Paulo. Arrisco uma semana... E mais! Não duvidem de que venha aí a calamidade pública em torno da água, racionamentos e multas...

SHOW DE COBERTURA – A Band foi excelente na cobertura geral. Idem na cobertura local, onde Carlos Marcondes foi destaque em comentários oportunos. A Rede Novo Tempo também marcou ponto. Gabriela Frontini direto do Tribunal Regional de São Paulo foi presença viva, num link de ensinar à Rede Globo. Respondia imediatamente ao estúdio principal, onde estavam o Apresentador  Elio Moura, este Colunista e o cientista político da Unitau, Maurício Cardoso. No corte o brilhante Bruno Elmano. De parabéns à Equipe capitaneada por Wagner Cantori.

GRANDE DERROTA – Maiores perdedores desta eleição foram os institutos de pesquisa... O País tem que acabar com isso, em nome da moralidade pública. Precisa deixar de ser hipócrita e permitir a boca de urna. É nela que reside a festa da democracia, com bandeiras e cédulas de mão em mão pelo Povo.

OUTRO QUE PERDEU – Depois de campanha espalhafatosa, com votação pouco maior que a de Goffi, Dr. Isael deu um tiro no pé, nas pretensões a prefeito de Pindamonhangaba. Menos votos que o Torino quando foi a federal. Se João Ribeiro não vier candidato, Torino pode ser o adversário de Vitão de novo, se  virar o jogo no TSE. Sem rejeição é o Professor Oswaldo Negrão. Anotem!

PODE SUJAR A FICHA LIMPA – Além de perder nas urnas Dr. Isael vai amargar responder em Taubaté pela denúncia de falsificação de documento. Como venho informando, partiu da iniciativa popular a provocação ao Ministério Público para abrir investigação sobre a atitude atribuída ao vice prefeito Dr. Isael (PV) acusado de levar a registro com data de 2014, transferência de cotas da sogra, numa empresa em que era sócio dela. A veneranda senhora morreu em 2011. A promotora Paula Gizzi determinou, textualmente, pelo ofício MP 38.0378.0001957/2014-8, que o delegado Vicente Lagioto investigue “haja vista em princípio, presente a hipótese de Crime de Falsificação de Documento”. Dr. Vicente instaurou o inquérito e declinou da competência da investigação ao Delegado da Seccional de Polícia de Taubaté, Dr. José Luiz Ramos Cavalcanti, porque o vice prefeito só pode ser interrogado pelo Titular. Terão de responder também as testemunhas que assinaram o contrato. Todos correm o risco de ficar com fichas sujas. Ironia do destino. Logo com o autor da lei da ficha limpa.

LESSA NÃO PODE SER FECHADO - O Procurador Geral de Justiça do Estado de São Paulo argüiu a constitucionalidade da norma legal que possibilitaria o fechamento do Residencial Dr. Lessa e qualquer outro loteamento em Pindamonhangaba, baseado na Lei 5492 de 18 de dezembro de 2012, aprovada pela Câmara ao apagar das luzes da administração passada. O procurador Márcio Fernando Elias Rosa acolheu argumentos do Grupo “Somos Amigos do Lessa”, encaminhados pela Promotora Luciana Polenti, reconhecendo vícios insanáveis como falta de audiências públicas e transferência gratuita de bens públicos para o patrimônio privado da Associação de Moradores do Lessa, com pretensão de transformar-se em pseudo-condomínio. O caso e a liminar impeditiva da transformação da AML em condomínio encontram-se amplamente divulgados no blog da SAL, hoje conduzido pelo Grupo “Somos Amigos do Lessa” (opositor ao fechamento do bairro); a partir de um desentendimento travado entre o antigo proprietário Carlos Alberto Durand e o presidente da AML - Associação de Moradores do Lessa, Anderson Nascif de Almeida (ex- assessor de Paulo Sérgio Torino, no SENAI e na campanha de 2012, quando Torino foi derrotado por Vito Ardito Lerário). O primeiro, “sabedor do montante deixado pela última diretoria, num total de R$ 27 mil, em depósito no Banco Santander” pedia que o segundo prestasse contas. Além de não prestar contas, como revela Durant, Nascif foi ácido na resposta, motivando que o Grupo de Amigos publicasse em seu blog (salsociedadeamigosdolessa.blogspot.com) o rumoroso imbróglio. Câmara e Prefeitura terão de prestar esclarecimentos sobre a lambança no Tribunal de Justiça de São Paulo.

*José Carlos Cataldi é jornalista, radialista e advogado. Foi fundador da CBN. Atuou nas Empresas Globo, Radiobrás (Presidência da República); TV Rio/Record; Redes Manchete e Brasil de Televisão; foi 4 vezes Conselheiro Federal e Presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB. e-mail: josecarloscataldi@hotmail.com  Blog:http://pensandovoce.blogspot.com.