Páginas

terça-feira, 21 de outubro de 2014

COMERCIANTE DE QUIRIRIM, SE
DEPENDESSE DE FHC, SUA FILHA
NÃO ESTUDARIA NO EXTERIOR

O ex-presidente FHC, que não construiu em seus oito anos de governo (1995/2002) um único quilômetro de estrada de rodagem ou de ferro e proibiu a criação de escolas técnicas pelo governo, é contra o programa Ciências Sem Fronteiras, que levou a filha de um comerciante de Quiririm a aperfeiçoar seus estudos no exterior.

A arrogância de FHC é infinita. Ele se supera
a cada declaração
Arrogante, FHC produz um texto pretensamente erudito, de quem não tem argumento, para combater o programa criado por Dilma Rousseff, que mantém quase 40 mil brasileiros estudando no exterior, ante as 8.500 que já existiam em 2013,“em uma profusão de bolsas, um menoscabo da capacidade universitária já instalada e o envio ao exterior de muitos que nem sequer conhecem bem a língua do país onde vão estudar”, asseverou o Príncipe da Privataria.

O texto original, no sítio do Estadão, pode ser lido aqui, mas não precisa perder seu tempo. O ex-presidente é bastante claro: é contra o Ciências Sem Fronteiras por que é. Para “justificar” seu falso argumento, mistura Coréia do Norte com Estados Unidos, Chipre com União Europeia para, por fim, criticar o pré-sal e derreter-se em elogios a Barak Obama.

Pois é, caro comerciante de Quiririm, o senhor ainda pensa em Aécio? Este rapaz na presidência significa o fim de programas educacionais como o Ciência Sem Fronteiras, sobre o qual, tenho certeza, sua filha só tem elogios a fazer. E o senhor também. Fala a verdade, fala!

Faltam seis dias para o fim segundo turno, a contar desta terça-feira (21). Ainda há tempo para o senhor repensar seu voto. Viu que ontem (20) saiu uma pesquisa eleitoral e a Dilma está na frente: 52 a 48 por cento dos votos válidos? O brasileiro sabe o que é melhor para o Brasil. Que tal fazer o mesmo o senhor e sua esposa. Sua filha, mais tarde, vai agradecer.

NOTA DA REDAÇÃO: 40 mil é o número atual de estudantes brasileiros no exterior, que recebem bolsa do programa Ciência Sem Fronteiras, criado por Dilma Rousseff.