Páginas

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

MUITA CARA DE PAU OU TRAIRAGEM?

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

O governo federal publicou em edição extraordinária do Diário Oficial, logo após a posse no segundo mandato, medidas provisórias alterando regras de concessão de benefícios previdenciários e trabalhistas.

Aumentar o rigor para a concessão do abono salarial, do seguro-desemprego, do seguro-defeso dos pescadores artesanais, a pensão por morte e o auxílio-doença, segundo o anúncio da “presidenta”, levará a uma economia de 18 bilhões de reais ao ano, já a partir deste que estamos começando.

Não creio que a propalada austeridade dê certo. Não vejo avanço social ou diferença do que seria o arrocho do PSDB que a propaganda petista denunciou  na campanha. O corte pune quem conquistou direitos pelo trabalho, para manter a sacola de bondades para quem não fez nada para conquistá-la.

Além do mais, o governo continua com um ministério inchado, com 39 titulares. E que já começa se desdizendo. Caso do ministro Nelson Barbosa que na posse mexeu no tabu da fórmula de cálculo do salário mínimo e voltou atrás quando percebeu que tocara num vespeiro.

O governo, sem qualquer originalidade, vai continuar gastando muito com gente cara e de competência duvidosa para assegurar governabilidade no congresso, mais uma vez dividindo o prejuízo entre quem sempre paga a conta: trabalhadores, aposentados e pensionistas.

Falei e disse!