Páginas

segunda-feira, 9 de março de 2015

A REVOLTA DOS RICOS

Velhinho de Taubaté*

O show do panelaço programado pelos ricos e milionários moradores dos Jardins, em São Paulo, e Copacabana, no Rio e Janeiro, não teve o público esperado. Ou seja, foi um fiasco. Quem melhor leu a revolta dos ricos foi o prefeito de São Bernardo do Campo, Luis marinho. Para o x-presidente da CUT, talvez o panelaço dos ricos só tenha existido porque as filas dos restaurantes de luxo estão grandes demais ou a fila de espera por um BMW os está colocando em polvorosa, pois a oferta é menor do que a procura.

Como bem lembrou Marinho (não o da Globo), com palavras bem mais elegantes que as minhas, talvez os milionários dos Jardins e de Copacabana estejam de saco cheio em dividir aeroportos com esta classe média que não conhece as delícias de um bom perfume francês, do fondue de queijo ou de chocolate, que nunca experimentei, do vinho português ou viagens para onde não se encontre brasileiro que nunca foi ao exterior.

Miami não dá mais. Tá "assim" de brasileiro por lá. Eles infestam as lojas e os restaurantes que antes eram exclusivos dos ricos e felizes brasileiros que podiam gastar suas fortunas e praticar o inglês aprendido em terras tupiniquins nos "states". A revolta dos ricos tem razão de ser: nem Paris ou Roma está dando mais. Tem sempre um brasileiro fungando nas costas de outro por lá. A maioria é de família classe média baixa, que moram na Europa por conta de bolsas de estudo que ganharam do governo brasileiro.

Realmente, os ricos tem razão: é de revoltar ver tanta gente estudando no exterior, sem contar o filho da empregada que faz faculdade ao lado de seu filho, ou seja, gozando os mesmos privilégios que antes eram exclusivos dessa gente bem-nascida, que só passou a se preocupar com pobre quando os viram trocar a estação rodoviária pelos aeroportos, as férias na praia por cruzeiros de navio. Ou seja, o pobre vai virar "doutor” e não mais os chamará de "doutor". Uma lástima!

Por isso é preciso derrubar Dilma, acabar com essa raça de petistas para voltarmos a ser uma republica que socializa a pobreza e o desemprego e põe os pobres em seu devido lugar, qual seja, a serviço dos ricos. Capitalismo é coisa de rico, não de pobre metido a besta. O que você está fazendo em meu aeroporto? Avião não foi feito para pobre. Pobre viaja de ônibus ou de carro, mas não de BMW ou Mercedes, que esses bólidos são feitos para quem pode tê-los.

Ponham-se em seus devidos lugares, petistas de uma figa! Vocês são os culpados de minha empregada ser mais exigente, pedir férias remuneradas e melhores salários. A culpa é de vocês se as estradas e os aeroportos estão sempre lotados. O Brasil não é mais colônia americana por culpa de vocês.

*Se preferir, acesse o blog do Velhinho de Taubaté. Está aqui.