Páginas

segunda-feira, 30 de março de 2015

COMO FALAR EM LAMBANÇA
NO CASO DO APART-HOTEL?

Não sei se preciso me desculpar pública ou particularmente com o empresário José Antonio Saud, mas algumas explicações são necessárias:

O diário oficial do município publicou, em sua edição de 26 de março último, a adjudicação em favor do apart-hotel Olavo Bilac da importância de R$ 5.481,60.

Tem razão o empresário e ex-secretário de cultura de Taubaté quando afirma que o evento realizado em seu hotel, no último sábado (28), não custou nada à Prefeitura. Não há porque duvidar de sua palavra.

Então, quem falhou?

O fato é que o edital publicado pelo diário oficial do município está lá para ser conferido por quem quiser e se refere ao pregão 402/14, para a contratação de hotel por um período de 12 meses.

Outros pregões realizados em 2014 tiveram os contratos publicados na mesma edição do diário oficial do município, ou seja, 26/03/15, todos para registro de preço, ou seja, contratos firmados pelo prefeito.

PROCESSO 14.572/15
PREGÃO 215/14
MOTIVO: aquisição de medicamentos diversos de vários fornecedores

PROCESSO 14.574/15
PREGÃO 259/14
MOTIVO: aquisição de material médico-hospitalar em geral.

PROCESSO 15.076/15
PREGÃO: 190/14
MOTIVO: aquisição e instalação de ar condicionado.

PROCESSO 15.613/15
PREGÃO 411/14
MOTIVO; aquisição de ventilador oscilante.

PROCESSO 16.314/15
PREGÃO 187/14
MOTIVO: contratação de serviço de som.

O pregão 402/14 foi realizado no dia 20/11/14, adiado que fora Prefeitura.

Daquela data a essa, Taubaté sediou em janeiro um dos grupos da Taça São Paulo de Futebol e os jogadores ficaram hospedados justamente no apart-hotel Olavo Bilac.

Não há nenhuma ilegalidade nisso. Afinal, trata-se de um empreendimento comercial e deve mesmo receber pelo serviço que presta à Prefeitura ou qualquer outra pessoa.

Como não tenho acesso ao contrato, não posso dizer o que ele contém.

Uma pena. Mas estes são os fatos.