Páginas

segunda-feira, 27 de abril de 2015

EDNA CHAMON NA "FRIGIDEIRA"

Não conheço pessoalmente a secretária de Educação de Taubaté, professora Edna Chamon. Quem a conhece me garante que é uma profissional competente e séria.

Há mais de um ano ouço dizer que Edna Chamon deixará a secretaria da Educação, que já pediu demissão, não aceita pelo prefeito cassado em duas instâncias Ortiz Junior, que suas ações são equivocadas, etc e tal.

O processo de "fritura" de um auxiliar, forçando-o a pedir demissão do cago, é parte da estratégia política do velho Bernardo Ortiz, absorvida pelo filho prefeito, que usa o mesmo subterfúgio para se livrar de Edna Chamon.

Professora Edna Chamon (foto extraída do Google Imagens)
Por que querem jogar nas costas da secretária a responsabilidade pela compra do prédio da Resolução Gráfica, por R$ 2,6 milhões.

Foi uma decisão pessoal da secretária?

Nenhum secretário decide sozinho uma compra nesse valor, principalmente se sabe que a verba a ser utilizada vem do Fundeb, do governo federal.

A responsabilidade pela liberação da verba é da secretária de Finanças Odila Sanches, que tem experiência de sobra para saber que a decisão de comprar o prédio não partiu da vontade exclusiva de Edna Chamon e poderia ter quesionado a compra.

Outros interesses, inconfessáveis, estão por trás do processo de fritura de Edna Chamon. Desgastá-la perante a opinião pública, e os professores da rede municipal em particular, é parte desse jogo sujo.

Ortiz Junior busca desesperadamente um nome respeitável para substituir Edna Chamon, de quem espera um pedido de demissão.

No lugar da professora aguardaria a demissão. Não a pediria. O prefeito cassado em duas instâncias faz como o pai: usa a mão do gato para tirar a castanha do fogo.

Ou seja, provoca o desgaste público de um auxiliar e se livra dele sem se desgastar. A tática é manjada mas funciona porque pessoas como Edna Chamon não querem ter em sua biografia a mancha da demissão.

O único a lucrar, politicamente, com a saída de Edna Chamon é Ortiz Junior. O clã Ortiz, representado por Patrícia Ortiz, continuará com sua sombra pairando sobre a Secretaria da Educação.

O próximo secretário(a) da Educação, se outro(a) for convidado para ocupar o lugar de Edna Chamon, terá muito dificuldade para contornar os problemas políticos que advirão, principalmente porque estamos a pouco mais de um ano das eleições municipais.

Supondo que Ortiz Junior não tenha confirmada sua cassação em Brasília, ele já está apostando em um possível candidato a vice-prefeito em 2016, Alguém capaz de dar credibilidade à sua própria candidatura.

Nesse xadrez político taubateano, Edna Chamon é, no máximo, um "bispo", que só pode andar na diagonal.

Ortiz Junior sabe que precisa acionar um "cavalo" para pular etapas e dar um xeque-mate nos possíveis pretendentes ao Palácio do Bom Conselho.

Quem for escolhido(a) para a Secretaria da Educação, deve pesar bem os prós e os contras da indicação.