Páginas

quinta-feira, 28 de maio de 2015

BRASIL NÃO DEVE EXTRADITAR
CHEFÃO DA CAMORRA.

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

O italiano Pasquale Scotti, de 56 anos, vive no Recife desde 1986, data em que entrou no Brasil. Tem mulher e dois filhos brasileiros... Pela letra fria da lei, a mesma que consagrou permanência a Ronald Biggs o tempo que quis, não pode ser extraditado.

O Brasil não concede extradição quando o estrangeiro tem filho nacional brasileiro. Afora isso, o mafioso está condenado a prisão perpétua, por ter nas costas 26 homicídios, casos de extorsão, resistência e fuga do hospital em que se encontrava custodiado na Itália...

O Brasil, se acaso concedesse a extradição, exigiria que a Itália aplicasse a pena máxima prevista aqui, onde não temos a prisão perpétua. São detalhes que, certamente, serão vistos pelo Supremo Tribunal Federal quando o caso for apreciado na mais alta corte do país.

Pasquale, que usava o nome Francisco de Castro Visconti, já aguarda pelo Supremo na ala federal da penitenciária da Papuda, em Brasília, para onde foi levado.

Aposto que o STF não concederá a extradição.


Falei e disse!