Páginas

terça-feira, 5 de maio de 2015

RISCO DE DEMISSÃO RONDA
AS CABEÇAS DE METALÚRGICOS

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

Depois de dar férias coletivas a 4 mil e 200 metalúrgicos da fábrica de Taubaté, em abril,  a Volkswagen adotou a mesma medida em relação aos 8 mil funcionários de sua maior linha de produção no ABC paulista.

Em nota, a empresa anunciou que tem feito uso de ferramentas de flexibilização para adequar o volume de produção à demanda do mercado. Isso para não dizer claramente que tem se esforçado para não demitir em massa, diante da falta de compradores para absorver a demanda de produção.

Os trabalhadores do ABC param, inicialmente, por 10 dias.

A conclusão é simples: se não houver retomada do consumo, o setor estará em vias de perder postos de trabalho definitivamente. Sem paliativos. Tanto na Volks quanto na GM e na Ford. Sem contar as chinesas que aportaram aqui com a mentalidade escravagista de suas origens.

Falei e disse!