Páginas

quinta-feira, 11 de junho de 2015

O INCRÍVEL “CATÃO” VIROU
CELEBRIDADE EM SÃO LUIZ

Desde ontem (10), o vereador Joffre Neto virou celebridade na bucólica São Luiz do Paraitinga. Pelo menos nos meios políticos da cidade não se comenta outra coisa: a denúncia formulada pelo Ministério Público à Justiça local contra o Catão da Vila São Geraldo.

Joffre, vereador desnecessário em Taubaté, deve aproveitar bem seu último mandato e fazer alguma economia para ajudá-lo a pagar a multa de mais de R$ 80 mil que deverá ser condenado a pagar pelo contrato  que manteve ao longo de 2010 com a Câmara Municipal local.

A vereadora Edilene Alves Pereira, neófita em 2009 quando assumiu a presidência da Câmara Municipal, ficou impressionada com o invejável currículo apresentado pelo então desempregado cidadão Joaquim Marcelino Joffre Neto.

Acabou contratando o Catão da Vila São Geraldo por “notório saber jurídico”. Joffre Neto ficou com 40% do parco orçamento de R$ 60 mil que a Câmara dispunha para o primeiro ano da nova legislatura.

O Catão da Vila São Geraldo nadou de braçada em São Luiz do Paraitinga. Recebeu sem trabalhar verdadeiramente, conforme constatou o Tribunal de Contas.

O processo civil por improbidade proposto pelo Ministério Público de São Luiz do Paraitinga deve ser acatado pela Justiça local e instaurado dentro de poucos dias.

Joffre poderá acrescentar ao seu vasto currículo o processo de São Luiz do Paraitinga ao de Taubaté, ambos compartilhados com vereadores que ele conseguiu engabelar.

Aqui, a petição do Ministério Público de São Luiz do Paraitinga.