Páginas

terça-feira, 14 de julho de 2015

ELEIÇÕES MUNICIPAIS EM TAUBATÉ:
O QUE NOS ESPERA O ANO QUE VEM?

O “chutômetro” de cada eleitor que se preocupa com o destino desta urbe quase quatrocentona está ligado, inclusive o deste blogueiro. Não é possível falar em favoritismo absoluto de ninguém.

Para fomentar as discussões, coloco os nomes de prováveis e improváveis candidatos a prefeito de Taubaté o ano que vem.

Ortiz Junior (?) – Sua candidatura à reeleição depende de um julgamento, que está por acontecer, no TSE. Nossa maior corte eleitoral ainda está gloriosamente sentada sobre o recurso do tucano à AIJE 58.738, pela qual teve seu mandato cassado e confirmado em segunda instância pelo TRE paulista.

---------- Ainda pesa sobre a cabeça do tucano a AIJE 95.292, que investiga possível lavagem de dinheiro na campanha eleitoral de Ortiz Junior. O tucano perdeu os recursos contra esta AIJE em São Paulo e em Brasília. A Justiça Eleitoral de Taubaté não a julga, alegando que deve aguardar o julgamento de Brasília. Assim caminha a justiça brasileira quando é para julgar tucano.

---------- O TSE ainda tem outro recurso de Ortiz Junior para julgar: trata-se da reprovação de suas contas eleitorais em 2012, contida no processo 944-18. O tucano recorreu intempestivamente (fora do prazo) e perdeu de goleada (6 a 0) no TRE-SP. O recurso especial de Ortiz Junior está com a ministra Maria Thereza de Assis Moura desde 24 de novembro do ano passado, aguardando julgamento..

---------- Além dos três processos eleitorais, que ainda não transitaram em julgado, o tucano responde a mais dois na área cível: em São Paulo, Ortiz Junior responde por improbidade administrativa, ao lado de seu pai, na 14ª Vara da Fazenda Pública (0045527-93).

---------- O segundo processo cível é de São José do Barreiro, onde Ortiz Junior foi condenado a devolver mais de R$ 130 mil aos cofres públicos por ter recebido cerca de R$ 44 mil para elaborar o planejamento urbano do município e não executado o projeto. Estranhamente, até o presente momento não há recurso  de Ortiz Junior contra a sentença da juíza Naira Blanco Machado

Pollyana Gama – A vereadora do PPS esteve muito próxima de ser candidata a prefeita em 2012. Antonio Mário Ortiz, vereador à época, apoiaria Pollyana. Porém, ao vislumbrar a possibilidade de ser ele próprio o candidato a prefeito pelo PSD, tudo se desfez após uma reunião tensa, que varou a madrugada, até a vereadora se “convencida” que deveria ser candidata à reeleição. E assim se fez.

---------- Natural que seu nome surja como eventual candidata a prefeita o ano que vem. Pollyana teve excelente votação para deputada federal em 2014 (35.854 votos). Não à toa o prefeito cassado tenta convencê-la a apoiá-lo em 2016. Haja cara de pau.

Salvador Khuriyeh – Gostaria imensamente de vê-lo novamente candidato a prefeito de Taubaté. Khuriyeh, política e tecnicamente é, em minha modesta opinião, o nome certo para pôr ordem no furdunço em que se transformou a Prefeitura neste século.

---------- Responsável pelas grandes obras de mobilidade urbana que a Prefeitura de São Paulo vem realizando sob a gestão Haddad, Salvador é peça fundamental na administração do petista da Capital.

---------- A responsabilidade assumida por Salvador Khuriyeh na Capital será o fator preponderante na sua decisão de voltar a se candidatar em Taubaté. O ex-prefeito sabe que não terá vida fácil na mais conservadora e tucana cidade do Vale do Paraíba, mas não esconde que gostaria de ser prefeito desta urbe quase quatrocentona.

José Antonio Saud – O empresário é o nome mais viável que dispõe o PMDB para o próximo embate eleitoral, após as trapalhadas cometidas pelo ex-prefeito Roberto Peixoto em suas gestões de 2003 a 2012. Fala-se em Rubens Fernandes, vice na chapa de Isaac do Carmo em 2012, mas não creio na possibilidade de “Rubinho” ser o candidato do partido.

---------- A possível candidatura de Saud precisa ser bem costurada para ser politicamente bem sucedida. Não há, ao que saiba, mácula que possa perturbar sua pretensão de ser prefeito de Taubaté. Com bom trânsito no meio empresarial e magistério, Saud pode ser o nome do PMDB nas próximas eleições.

---------- Até arrisco um palpite: por que não uma aliança PT-PMDB na cada vez mais próxima eleição municipal? Deixo a pergunta para os eleitores e para as lideranças dos dois partido. Eles que se entendam.

Isaac do Carmo – A votação espetacular obtida pelo petista na última eleição municipal, quando disputou o segundo turno com o tucano Ortiz Junior será considerada, sem dúvida.

---------- O PT é um partido estigmatizado em Taubaté, mais por conta do conservadorismo dos eleitores da terra de Monteiro Lobato, que abraçaria gostosamente um novo golpe político, se houvesse.

---------- Já venceu eleições proporcionais na cidade. Majoritária, só Lula venceu eleição em Taubaté, em 2002, quando derrotou Serra na eleição presidencial. Há a vitória da dobradinha PMDB-PT em 2008, nesta ordem.

---------- Taubaté tem medo do novo. Por isso vive no atraso. Saud poderia ser cabeça de chapa com um petista como coadjuvante. Qual o problema? Alianças são necessárias no processo político. Por que, então PT e PMDB ou PMDB e PT não se unem na próxima campanha municipal.

----------Sectarismo político não resolverá o problema desta urbe quase quatrocentona. Precisamos de soluções políticas urgentes e ela passa, necessariamente, por uma negociação séria entre PT e PMDB.

Chico Oiring – A provável candidatura do engenheiro e um dos ex-coordenadores da campanha de Ortiz Junior em 2012 pelo PSOL pode ser um diferencial na campanha eleitoral de 2016, que começou logo após a posse do tucano em 2013.

---------- Oiring e a advogada Gladiwa Ribeiro foram os responsáveis, além do empresário Djalma Santos, pelas denúncias que levaram á cassação do tucano em primeira e segunda instância nos tribunais eleitorais.

---------- A filiação de Chico Oiring ao PSOL foi abonada por Luciana Genro, que teve boa performance eleitoral na eleição presidencial o ano passado. Para concretizar seu desejo de ser candidato a prefeito de Taubaté, o engenheiro precisa do apoio das principais lideranças do partido a nível municipal.

---------- Vejo a candidatura do engenheiro como risco para os ”ortizes”, que terão suas feridas expostas ao eleitorado para, quem sabe, finalmente entender que há mais de 30 anos vem sendo enganada pelo caudilhismo qaue se instalou nesta urbe quase quatrocentona em 1982.

---------- De quebra, Oiring ainda poderá ajudar o PSOL a eleger seu primeiro vereador em Taubaté.

André Saiki – Outro empresário respeitável, ex-presidente da Associação Comercial e Industrial de Taubaté, poderia ser candidato pelo PSD, que está nas mãos de Mário Ortiz.

---------- Temo que o PSD, que faz parte do governo Dilma com Kassab no Ministério das Cidades, na hora “agá”, prefira uma aliança mais à direita. No caso taubateano fica claro que, se depender de Mário Ortiz, o PSD fica com o que está aí. O interesse pessoal pode superar o interesse coletivo.

Como se vê, numa cidade com mais de 200 mil eleitores são poucos os nomes em condições de disputar a eleição municipal do ano que vem.

São poucos nomes, mas bons nomes.

Tirante o atual prefeito, todos poderão oxigenar Taubaté!