Páginas

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

ALCKMIN NA LISTA DE FURNAS

Silvio Prado, professor

O doleiro Youssef, depondo ontem na CPI da Petrobras, entregou de bandeja Aécio Neves. O Mensalão de Furnas, segundo o depoente, botava, religiosamente, nas contas do Aécio "cem mil pratas" todo mês.

Aécio, mesmo esplendidamente blindado, tornou-se a partir do depoimento de ontem o centro das conversas e dos debates sobre corrupção política no Brasil. Dessa vez não funcionou como devia a blindagem que a grande mídia costuma fazer aos falsos moralistas tucanos.

O senador mineiro está exposto e terá que responder publicamente por seus atos e, se houver ainda um pingo de justiça no Brasil, a Polícia Federal poderá, numa só viagem, aproveitar para levar Eduardo Cunha e Aécio para aquele conhecido local destinado aos que se apropriam do dinheiro da população.

O depoimento de Youssef trouxe de volta para o noticiário a famosa Lista de Furnas, onde aparecem, além de Aécio Neves, os nomes de gente de peso do tucanato. Está lá, por exemplo, o nome do senador José Serra e, bem na frente de seu nome, o valor que ele ilegalmente mordeu para custear a tentativa de se eleger presidente, em 2002. O valor não é nada pequeno: R$ 7 milhões.

Entre outros nomes de peso do PSDB, encontramos na Lista de Furnas ninguém menos do que o governador Geraldo Alckmin, candidato ao governo de São Paulo e que mordeu mais do que Serra. Alckmin sozinho mordeu R$ 9,3 milhões para bancar sua eleição em 2002.

Aécio, o centro das atenções depois do depoimento de ontem, além das "cem mil pratas" a ele entregues mensalmente, arrancou de Furnas R$ 5,5 milhões para bancar sua campanha no mesmo ano.

Outros nomes tucanos que vivem vomitando discursos éticos para depor a presidente Dilma também estão na famosa relação. Por exemplo, o raivoso Aluísio Nunes, que prometeu sangrar Dilma até o ultimo dia de seu governo, abocanhou R$ 50 mil. Alberto Goldman, outro moralista tucano, saiu com R$ 150 mil nos bolsos.

Enfim, nada melhor do que um escândalo atrás do outro para revelar o quanto gente descaradamente desonesta vive escondida atrás de discursos mentirosos, truculentos e imorais.

É claro que não podemos esperar que a Justiça venha a funcionar no Brasil contra gente tão poderosa e entranhada no próprio Estado. Sabemos que nenhum deles é pobre e muito menos negro. Também sabemos que não são prostitutas virando bolsa na esquina. Também sabemos que não são petistas e de nenhum partido de esquerda.

Todos são tucanos, a espécie mais refinada de bandidos que o pais já produziu. Portanto, justiça e cadeia ainda não foram feitas para essa espécie política que, infelizmente, não está em extinção.