Páginas

sábado, 1 de agosto de 2015

SINDICATO DOS METALÚRGICOS
DE TAUBATÉ SE REDIME COM PT

O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté é um dos signatários da nota de repúdio que as principais centrais sindicais de São Paulo divulgam neste sábado (1º), após o encontro que mantiveram com o ex-presidente Lula em São Paulo, na tarde desta sexta-feira (31).

Nunca é tarde de mais para se redimir, principalmente no campo político.

Para quem não se lembra, Hernani Lobato, para vencer a eleição sindical local, recebeu o apoio velado do prefeito cassado e de vereadores da bancada de apoio a Ortiz Junior.

Quem não se recorda da omissão de Hernani Lobato na eleição presidencial do ano passado, ao ignorar um ato de solidariedade que se fazia numa manhã de sábado em Taubaté, que reuniu petistas e psolistas, em apoio á Dilma?

Como escrito acima, nunca é tarde para se redimir. Ao co-assinar a nota de repúdio dos metalúrgicos de São Paulo contra o atentado ao Instituto Lula. Hernani Lobato se redime, em parte, com o PT.

NOTA DE REPÚDIO

Lideranças dos metalúrgicos de todo o Estado de São Paulo estiveram reunidas com o ex-presidente Lula, na tarde de ontem (31), para encaminhar as ações da categoria diante do atentado ao Instituto Lula ocorrido na quinta-feira (30).

Além do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, estiveram presentes a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT, a CNM-CUT, a Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT, a FEM-CUT, o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba, e o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté.

Não permitiremos que nossa principal liderança seja atacada ou mesmo ameaçada por setores ou pessoas que não têm responsabilidade com a democracia e que nunca se importaram com os trabalhadores.

O legado vitorioso construído pelo ex-presidente Lula trouxe muitos avanços para o País e conquistas para os trabalhadores e para toda a sociedade brasileira.

As ações do governo Lula retiraram o Brasil das trevas: da fome, da desigualdade social, da concentração de renda e do abandono a que estavam submetidas as populações do campo, das periferias e das regiões Norte e Nordeste, e deram dignidade a milhões de pessoas.

As lutas no Brasil se intensificarão em defesa deste legado, do qual somos parte e muito nos orgulhamos.

Sindicato dos Metalúrgicos do ABC


Sábado, 1 de agosto de 2015